Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O corregedor-geral da Justiça do Ceará, desembargador Francisco Darival Beserra Primo, abriu, nesta quinta-feira (1º/11), a III Edição do Mês Nacional do Júri na Região do Cariri, no Fórum da Comarca de Farias Brito. Os trabalhos prosseguem durante todo o mês de novembro. No Estado, foram pautados 362 processos, sendo 88 somente nas Varas do Júri de Fortaleza e 274 em comarcas do Interior.

O objetivo é priorizar o julgamento de processos de crimes dolosos contra a vida que tratam de réus presos, violência contra a mulher, crianças e adolescentes, crimes praticados por policiais no exercício ou não de suas funções, além daqueles decorrentes de confrontos dentro ou nos arredores de bares e/ou casas noturnas.

“Concito todos os juízes do Ceará a se engajarem neste trabalho tão importante para a solução de processos que envolvem o bem mais precioso, que é a vida. As ações da competência do júri devem ser agilizadas para evitar a liberação de presos, extrapolação de prazos e a prescrição em casos dessa natureza, que configuram absurdos”, disse o corregedor, que desde terça (30), está visitando unidades judiciárias do Interior.

Também participaram da abertura o juiz titular de Farias Brito, André Arruda Veras (presidente do Júri), o promotor de Justiça Cleyton Bantin da Cruz, o defensor público Célio José Saraiva, o prefeito do Município, José Maria Pereira, o presidente da Câmara de Vereadores, Manuel Domingos, além dos jurados e da população.

O Mês Nacional do Tribunal do Júri é uma iniciativa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no âmbito da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), que no Ceará tem a supervisão da desembargadora Francisca Adelineide Viana. O evento tem como parceiros o Ministério da Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Fonte: CGJ-CE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp