Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O projeto “Retrato 3D – Retratando imagens, registrando vidas”, uma iniciativa da Cruz Vermelha Brasileira (CVB) no Ceará, em parceria com a Associação de Cegos do Estado do Ceará (ACEC), está proporcionando à pessoa cega o direito de poder guardar a imagem de entes queridos em retratos que saltam” da moldura, trazendo de fato um outro “olhar” e dando uma nova perspectiva de suas memorias através do toque.

A reinserção do ser humano no processo social, segundo a Cruz Vermelha, é uma das prioridades da entidade há 154 anos, destaca o presidente estadual Allan Damasceno. “É necessário enxergamos o Brasil real, que acontece de fato, e a pessoa com deficiência compreende uma grande parcela da população do país. Portanto as oportunidades devem ser igualitárias”, diz ele.

Ao todo foram 16 pessoas com deficiência que tiveram seus parentes retratados neste projeto que envolve tecnologia de ponta.

Para o presidente nacional Julio Cals, que ocupa o mais alto posto da organização no Brasil, projetos como esse “são fundamentais para a transformação social deste século, e a Cruz Vermelha tem se mantido na vanguarda de tais ações, sendo um marco para o terceiro setor” complementa Cals.