Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dando continuidade às apresentações da convocatória Arte em Rede, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura apresentará, nesta terça-feira (22), a partir das 18h, o projeto “Escute e Veja”, programa digital de literatura organizado pela jornalista e dramaturga cearense Natercia Rocha. A exibição, que reúne leitura de poesias e audiodescrição de fotografias, será realizada no canal do Centro Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro), com acesso gratuito e livre. A apresentação é também uma forma de marcar o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado nesta última segunda-feira, 21 de setembro.

Com o videoarte “Rumo Norte”, o projeto combina a audiodescrição de 30 fotografias e a narração de 30 poemas, publicados no livro homônimo, lançado por Natercia em 2008. O trabalho é parte do canal Escute e Veja, criado por Natercia para promover a acessibilidade literária, o primeiro de literatura cearense, na internet, destinado a pessoas cegas, com baixa visão, idosas e interessados em geral, para promover a acessibilidade literária. O projeto conta com audiodescrição das imagens fotográficas por Renatta Franco e a narração dos poemas por Talita Nascimento.

Segundo Natercia, o trabalho une tradição, modernidade e comodidade para, ao facilitar o acesso a peças literárias e fotográficas não adaptadas ao sistema braille, contribuir para a democratização do acesso cultural de comunidades com deficiência na visão. A artista apresenta imagens do cotidiano do interior no norte do Ceará e curtos poemas ritmados, nos quais brinca com metáforas, desenha com palavras as imagens que vê, joga com opostos e aprofunda sensações.

Para Natercia, a proposta contempla uma parcela já significativa da população, historicamente excluída dos processos de difusão artística. De acordo com dados do IBGE (Censo Demográfico 2010), no Ceará existem 24.224 pessoas com deficiência visual que não conseguem ver de modo algum; com grande dificuldade visual são 349.795 pessoas e, com alguma dificuldade para enxergar, são 1.497.949 pessoas. A mesma pesquisa mostra que, somente em Fortaleza, existem 8.168 pessoas que não conseguem ver de modo algum; com grande dificuldade visual são 82.506 pessoas e, com alguma dificuldade para enxergar, são 417.723.

Além de oportunizar o acesso de pessoas com deficiência visual à literatura, o canal Escute e Veja realiza a gravação de livros clássicos e contemporâneos com foco na produção de escritores cearenses e, assim, fomenta a cadeia produtiva através de narradores, locutores, produtores, roteiristas, audiodescritores e editores.

Sobre a artista

Natercia Rocha nasceu em Fortaleza (CE), é formada em Jornalismo pela Universidade de Taubaté, no Vale do Paraíba (SP), e em Dramaturgia, pela Escola de Dramaturgia do Museu da Imagem e do Som (MIS). Na área da literatura, em 2008, foi contemplada no Edital de Incentivo às Artes da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, e publicou o livro Rumo Norte. Em 2010, o livro recebeu o Prêmio Otacílio de Azevedo de Reedição. Em 2013, publicou, em parceria com a bióloga Margareth Muniz, o livro-arte Viva o Tempo que se Chama Hoje, com apoio da Seduc. Em 2014, lançou o primeiro livro de contos, intitulado Contos de Ir Embora, que traz ilustrações do artista plástico Audifax Rios e prefácio de Nilto Maciel. O trabalho foi contemplado no IX Edital de Incentivo às Artes da Secult.Em 2016, lançou livro com perfil biográfico de Chico Anysio, pela Coleção Terra Bárbara, Editora Demócrito Rocha. Em 2016, lançou o livro E Assim se Passaram 25 Anos, publicação institucional da Seplag, que comemora as bodas de prata do Programa de Ação Integrada para o Aposentado (PAI).

Na área do audiovisual, em 2000, documentou a tribo dos Índios Guarani Mbyá, da Aldeia Boa Vista, localizada em Ubatuba (SP), litoral de São Paulo, intitulado Brasil – 50 Mil Anos. Em 2014, realizou a Exposição Virtual Rumo Norte. Em 2015, realizou o curta-metragem Da Janela Lateral, através da convocatória “Que Fortaleza é a Sua?”, da Vila das Artes, Secultfor. O videoarte aborda poeticamente a crua realidade do Centro de Fortaleza.

Sobre o Arte em Rede

A Convocatória “Arte em Rede” se insere dentro de um conjunto de iniciativas que o Governo do Estado do Ceará, a Secretaria da Cultura do Estado, junto à sua Rede de Equipamentos, e o Instituto Dragão do Mar vêm realizando com o objetivo de promover e movimentar a criação, difusão e economia artística e cultural do Estado, no contexto de medidas de distanciamento social necessárias neste período de pandemia do Coronavírus, incentivando a sustentabilidade do fazer artístico através de iniciativas que contemplem os artistas, grupos, coletivos, companhias e demais profissionais e empreendimentos culturais cearenses.
O Arte em Rede também integra o Programa Cultura em Rede, previsto no Planejamento Estratégico da Secult, com o intuito de articular, integrar e potencializar os equipamentos culturais do Estado, para estimular o compartilhamento e a colaboração entre os equipamentos vinculados à Secretaria da Cultura, a fim de que possam atuar de forma sistêmica no desenvolvimento e consolidação da política cultural do Ceará.

Serviço

Arte em Rede apresenta “Escute e Veja – Roda de Leitura Inclusiva”, com Natercia Rocha
Horário: 18h
Transmissão: YouTube do Dragão do Mar (youtube.com/dragaodomarcentro)
Acesso gratuito
Duração: 64 min
Classificação etária: livre