Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os técnicos do Governo Federal recorrem aos números para tentar mostrar aos prefeitos e governadores de que, com a reforma previdenciária, haverá uma queda brusca nas despesas com aposentadorias, pensões e benefícios sociais. Os cálculos do governo Bolsonaro apontam que, em 10 anos, se passar o projeto de reforma previdenciária, os estados diminuirão as despesas nessa área em, pelo menos, R$ 330 bilhões.  

Os 9 estados do Nordeste, pelos números apresentados pela equipe econômica liderada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, teriam, nesse mesmo período de 10 anos, redução de R$ 65 bilhões e 990 milhões com a previdência social. 

Entre os estados nordestinos, o maior enxugamento dessas despesas ficaria com o estado da Bahia – R$ 18 bilhões e 630 milhões, vindo, em seguida, Pernambuco, com economia de R$ 10 bilhões e 540 milhões, e, em terceiro lugar, o Ceará, que, pelos números do Governo Federal, terá, se aprovada a atual proposta de reforma previdenciária, redução de R$ 8 bilhões e 540 milhões. 

De acordo com reportagem do Jornal O Globo, edição desse domingo, Sergipe, entre os 9 estados do Nordeste, terá, em uma década, com base nos números do Ministério da Economia, uma redução de R$ 3,51 bilhões nos gastos com a Previdência Social. Pelo levantamento, a Paraíba teria uma economia, no período de 10 anos, de R$ 4,01 bilhões, atrás de Alagoas R$ 4,19 bilhões, Piauí (R$ 4,61 bilhões), Maranhão (R$ 5,55 bi) e Rio Grande do Norte (6,41 bilhões). 

Os números deixam animados os governadores. O governador Camilo Santana recebeu, também, esses dados, quer a reforma previdenciária, mas se opõe à redução nos valores do BPC e é contra, também, as regras mais duras para os trabalhadores rurais se aposentarem. O Governo Federal se apega aos números sobre a redução de despesas para atrair articulações dos governadores no convencimento aos deputados federais para apoiarem à reforma da Previdência Social. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp