windows 10 pc repair tool free microsoft word 2016 quick access toolbar free autodesk advance steel 2017 serial number free kid pix windows download free adobe indesign cs6 shortcut keys free adobe premiere pro cs6 how to use free ace stream free windows 10 microsoft office 2016 professional buy free

Diante do surgimento do debate sobre mudanças no processo eleitoral, o deputado federal Danilo Forte (PSB-CE) disse em entrevista a jornalistas que é a favor da reforma política. O parlamentar cearense posicionou-se contra a proposta do chamado voto em lista, em que os partidos políticos apresentam os nomes a serem referendados na eleição aos cargos em disputa. “É um perigo termos esse sistema, pois ele afasta ainda mais as pessoas do centro das decisões”, explicou o socialista.

Em resposta Danilo Forte disse que o PSB está preocupado com a possível transformação das legendas em “cartórios eleitorais”. “Corremos o risco de modificarmos a figura dos líderes partidários e torná-los coronéis, que indicam quem serão os próximos deputados, senadores e vereadores, retirando das pessoas o direito de escolherem quem elas querem lhes representando”, aponta. Segundo ele, o chamado distritão – em que são eleitos os mais bem votados – é mais justo e será melhor aceito pela população, independente da cor partidária. “Muitas vezes as pessoas não entendem porque aquele candidato que obteve amplo número de votos acaba não sendo declarado vencedor”.

O parlamentar cearense defende junto com a bancada do PSB na Câmara o fortalecimento dos partidos, por meio do fim das coligações e maior transparência no financiamento das campanhas. “Se a sociedade cobra de nós mudanças então temos que fazê-las, combatendo inclusive o excesso econômico. Todos os dias temos visto o caos provocado por campanhas ricas e milionárias, e isso precisa ser mudado”.

Em debate nas comissões da Câmara dos Deputados, a primeira proposta da reforma política deve ser apresentada até o fim de abril. De acordo com Danilo Forte a conclusão do processo está prevista para o fim de outubro, pois, “prevemos que as novas regras já passem a valer para o pleito do próximo ano”.

Com Assessoria