Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Seis revólveres calibre 38 apreendidos, uma vida salva e seis homens envolvidos com o tráfico de drogas presos. Este é o resultado de ações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio de policiais da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), nesta primeira semana do ano de 2017. O trabalho desenvolvido por equipes da especializada também possibilitou as apreensões de cerca de dois quilos de entorpecentes e de outros ilícitos, além de frustrar um plano de homicídio.

As ações policiais foram efetuadas nos primeiros dias desta semana (do dia 02 ao dia 04 de janeiro), em Fortaleza e Região Metropolitana – nos bairros Jardim Jatobá, João XXIII e Mondubim, na Capital, e no bairro Novo Portugal, no município do Eusébio. Os endereços ficam situados nas Áreas Integradas de Segurança 2, 5 e 9 (AISs 2, 5 e 9). Durante as investidas, os agentes de segurança descobriram diversos locais escolhidos pelos infratores para esconder as drogas. Desde em eletrodomésticos a buracos em paredes, os esconderijos foram desfeitos e os entorpecentes apreendidos.

Entre os seis presos estão Matheus Furtado Guedes (21) e José Moacir Ferreira Neto (23), conhecido como “Dudé”, comparsas na venda de drogas e capturados nessa quarta-feira (04). Na residência do primeiro, na Vila da Paz, no Mondubim, os policiais encontraram um dos revólveres, um duas placas de colete balístico com quatro munições, 35 trouxinhas de maconha e outro pedaço da droga, e uma balança de precisão – todos escondidos debaixo de uma cama.

Matheus disse aos policiais ter conseguido a arma com seu comparsa, Moacir. Na residência dele, situada no bairro Couto Fernandes, os entorpecentes eram encobertos dentro do forro de uma mala. Lá, foram encontradas cerca de 130 gramas de cocaína, com parte dela pronta para venda. Moacir, o “Dudé”, foi capturado no local. Ambos tentaram resistir à prisão e escapar, mas logo foram contidos e presos. Mas, neste caso, o trabalho da Polícia não parou por aí. O plano de homicídio frustrado pelos policiais era arquitetado por Matheus, que disse ter se envolvido em uma briga com seu padrasto e, por causa disso, pretendia matá-lo. O suspeito estava sendo investigado por envolvimento com o tráfico de drogas sintéticas. As apurações indicavam que Matheus também comercializa outros tipos de entorpecentes, como maconha e cocaína.

Os presos foram autuados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas e por opor-se à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça a funcionário competente, com base, respectivamente, nos artigos 33 e 35 da Lei 11.343 e 329 do Código Penal. Matheus também foi autuado por posse ilegal de arma de fogo, com base no artigo 12 do Estatuto do Desarmamento. Com eles, os policias também apreenderam uma faca e um celular.

Em outra ofensiva, ainda no dia 04, os investigadores prenderam Adinailton de Araujo Gonçalves (18) e Vicente Robério Lima Mota Junior (24). Desta vez, o trabalho policial se desenvolveu no bairro João XXVIII. Com eles, os policiais apreenderam 1,810kg de maconha em trouxinhas e tablete, 175g de cocaína distribuídas em trouxinhas e pedaços, uma motocicleta de cor vermelha e placa OZA-8424, dois celulares, uma balança de precisão e um rolo plástico usado para embalar as substâncias.

O flagrante se deu após denúncia anônima sobre um ponto de venda de drogas, em um beco localizado na Rua 12 de Julho. Os investigadores realizaram campanas nas proximidades e perceberam intensa movimentação no endereço, com indícios da comercialização de ilícitos. Adinailton foi abordado ao sair de um imóvel situado no beco, com uma sacola contendo cinco pedaços de maconha dentro de uma caixa de sapatos. A droga seria entregue para Vicente, que aguardava em uma motocicleta. No imóvel, pertencente a Adinailton, em um móvel no seu quarto, os policiais encontraram o restante dos materiais. Os dois homens foram autuados por tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Os primeiros flagrantes, efetuados nos últimos dias 02 e 03, também são resultados de denúncias anônimas e culminaram na localização de outras quatro armas de fogo em um único endereço e na desativação de um ponto de venda de drogas.

Já na Rua da Lama, bairro Novo Portugal – Eusébio, os policiais encontraram quatro revólveres cal. 38. A Polícia chegou ao local, no dia 02, após receber denúncia anônima com informações sobre a localização de armas e a venda de drogas no imóvel. Felipe Araujo França (18), que responde por receptação, estava no imóvel e, ao perceber a chegada dos policiais, tentou fugir, mas logo foi capturado e confessou que guardava armas lá. No entanto ele disse que o arsenal pertencia a outro homem.

As armas estavam escondidas dentro do guarda-roupa, debaixo da cama, no canto de uma parede e dentro de um fogão. Vinte pedras de crack ainda foram encontradas dentro de um pote, em uma cômoda, além de uma balança de precisão. Em outra residência, nas proximidades, os policiais apreenderam uma motocicleta de placa PMA-7890. Felipe confessou envolvimento na comercialização de entorpecentes e foi autuado por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito e permitido, tráfico de drogas e por opor-se à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça a funcionário competente. Durante a ação, três celulares também foram apreendidos.

Já as diligências desenvolvidas no bairro Jardim Jatobá, no dia 03, culminaram na prisão de Antônio Cláudio Barroso da Silva, conhecido como “Pipo”, em uma casa, com outro revólver, munições, cadernetas de anotações do negócio do tráfico, balança de precisão, dois celulares, 20 trouxinhas de maconha pensando 20g, 18 trouxinhas de cocaína pesando 10g e aproximadamente R$ 20,00. Campanas feitas nas proximidades também constataram movimentação suspeita no imóvel. Os entorpecentes eram comprados e consumidos ali mesmo. Parte da droga era escondida dentro de buracos feitos na parede de um banheiro. “Pipo” também tentou fugir, mas foi capturado e autuado por posse ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e por opor-se à execução de ato legal, mediante violência ou ameaça a funcionário competente.

Fonte: SSPDS