Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O decreto do governo de Jair Bolsonaro publicado nesta quarta-feira (22) que trata das regras sobre armas no país determina que o Exército defina, em 60 dias, quais armas vão poder ser adquiridas pelos cidadãos comuns. É essa listagem que vai dizer, por exemplo, se será possível ou não comprar um fuzil.

No início de maio, o governo havia publicado um decreto que aumentou a quantidade de armas que poderiam ser adquiridas para o cidadão comum. Essa ampliação abriu a possibilidade de que cidadãos adquirissem armas que, até então, eram de uso restrito da polícia, como as pistolas 9mm e .40. Nessa categoria também se enquadra o fuzil semiautomático T4, segundo a Taurus, que fabrica o armamento.

A relação de armas que vão poder ser adquiridas pelo público em geral ainda precisa ser definida pelo Exército. É nesse prazo que a corporação definirá o que é arma de fogo e munição de uso permitido e arma de fogo de uso restito (reservada para a algumas categorias, como policiais e militares das Forças Armadas).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp