Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Após  terem sido citados  na delação do dono do JBS, Wesley Batista,  os secretários de Estado Arialdo Pinho e Antônio Balhmann passaram a ser alvo do deputado estadual Heitor Férrer (PSB). O socialista entrou nesta segunda-feira (22), com uma representação na Procuradoria Geral de Justiça do Ministério Público Estadual e no Ministério Público Federal pedindo providências para acionar judicialmente e destituí-los dos seus respectivos cargos.

Segundo o depoimento de Wesley Batista, dono do grupo J&F e do frigorífico JBS, Arialdo Pinho, à época chefe da Casa Civil, e o então deputado federal Antônio Balhmann liberaram o pagamento de R$110 milhões de créditos de ICMS devidos a JBS em troca do repasse de R$ 20 milhões para a campanha de Camilo Santana, em 2014. Heitor defende que a conduta dos secretários incorre em improbidade administrativa e corrupção passiva. Atualmente, Arialdo é secretário de Turismo e Balhmann responde pela pasta de Assuntos Internacionais.

O parlamentar também apresentou requerimento na Assembleia Legislativa solicitando ao governador Camilo a exoneração dos secretários.

Ele observa que “há a declaração comprovada por meios de notas fiscais e recibos de que o ex-Governador Cid Gomes recebeu propina de 20 milhões de reais para injetar na campanha de seu sucessor, o atual Governador Camilo Santana, por meio de visitas dos secretários. Houve abuso de poder econômico na eleição do Camilo/Isolda, mas, infelizmente, o prazo para entrar com a cassação da chapa expirou. Tais condutas não se apresentam como dignas para um Secretário de Estado, que deveria estar servindo a sociedade cearense de forma lícita. Por isso, solicitamos o afastamento imediato dos secretários Ari
aldo Pinho e Antônio Balhmann de suas funções e que se proceda com as exonerações dos cargos”, explica Heitor.