Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, comentou, nesta quinta-feira (25), a revogação do decreto do presidente Michel Temer que convocava as Forças Armadas a garantir a lei e a ordem no Distrito Federal. A medida foi adotada após depredação de prédios públicos na Esplanada dos Ministérios, e o recuo nessa decisão, menos de 24 horas depois, teve como motivação “a constatação do retorno da normalidade na Esplanada”.

— Seguramente, o que motivou o presidente da Câmara (deputado federal Rodrigo Maia) a pedir reforço da segurança na Esplanada foi o legítimo interesse de garantir o funcionamento daquela Casa. Tenho convicção de que os organizadores desse movimento não tinham a intenção de fazer o que se deu ontem. O direito de se manifestar é legítimo e sagrado nas democracias, mas de forma ordeira e com respeito ao funcionamento das instituições —declarou Eunício.

Após essa manifestação, os senadores da oposição Lindbergh Farias (PT-RJ) e Randolfe Rodrigues (REDE-AP) elogiaram a postura de Eunício ao conduzir o Plenário do Senado em meio à convulsão desta quarta (24).

— Cumprimento Vossa Excelência pela forma apropriada, democrática, com que conduziu os trabalhos naquele momento tenso — elogiou Lindbergh.

O senador José Medeiros (PSD-MT) reforçou os cumprimentos e afirmou que, em 2013, a então presidente Dilma Rousseff também convocou as Forças Armadas para proteger bens públicos em uma manifestação na Esplanada.