Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Há 53 anos foi instalado no Brasil uma ditadura civil-militar. O então presidente João Goulart foi deposto pelos militares, que instauraram regime autoritário por 21 anos. Para realizar o resgate histórico e mostrar os acontecimentos por outra visão, o Governo do Ceará, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos, com apoio do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, encerra nesta sexta-feira (31), série de atividades alusivas ao tema.
O destaque da programação é a instalação do Grupo de Trabalho Memória e Verdade, que tem por objetivo visibilizar e difundir histórias de repressão e resistência ao Golpe Civil-Militar de 1964 e de outros momentos da história do Ceará, além de construir uma política estadual de preservação da memória e reconstrução da verdade.

A cerimônia de instalação ocorre na noite desta sexta-feira (31), no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, a partir das 19 horas. As entidades que irão compor o Grupo de Trabalho Memória e Verdade são: Instituto Latino Americano de Estudos Sobre Direito, Política e Democracia; o Comitê Memória, Verdade e Justiça do Ceará; e o Grêmio Estudantil João Nogueira Jucá, vinculado ao Colégio Estadual Liceu do Ceará e o Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz, secção Ceará.
O encerramento da programação será com o lançamento do livro “Jango e eu: memórias de um exílio sem volta”, de autoria do jornalista, presidente do Instituto João Goulart e filho do ex-presidente João Goulart (1919-1976), João Vicente Goulart.
PROGRAMAÇÃO
A programação teve início nesta quinta-feira (3) com o II Ciclo Direitos Humanos e Democracia: “Estado de Exceção de 1964 e sua relação com o presente” com a presença de João Vicente Goulart e do professor Doutor Estênio Azevedo, da Universidade Estadual do Ceará.
Na programação também está a exibição dos documentários “Memória e Verdade”, uma produção da Coordenadoria de Imprensa da Casa Civil e da Coordenadoria de Direitos Humanos, do Governo do Ceará, com a TVC e a apresentação do curta “Um beijo na família e nas crianças” que mostra a realidade do período da ditadura militar pelo olhar dos filhos de ex-presos políticos cearenses.
GT Memória e Verdade
No dia 23 de dezembro de 2016, por meio do decreto nº 32.113, o governador do Ceará, Camilo Santana, instituiu o Grupo de Trabalho Memória e Verdade do Estado do Ceará, com o objetivo central de estabelecer uma política estadual de memória do Ceará.
O grupo é formado pelos seguintes órgãos estaduais: Gabinete do Governador, por intermédio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos, Secretaria da Educação do Estado do Ceará, Secretaria da Cultura do Estado do Ceará e Secretaria da Justiça do Estado do Ceará. Um representante de cada uma das seguintes instituições: Universidade Estadual do Ceará, Universidade Estadual do Cariri, Universidade Estadual Vale do Acaraú.

Fonte: Ascom da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos do Gabinete do Governador