Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) desarticularam um grupo criminoso que estava atuando em roubos a comércios e residências nos bairros Luciano Cavalcante, Lagoa Redonda e Cidade dos Funcionários, na Área Integrada de Segurança 04 (AIS 04) de Fortaleza. Três adultos e dois adolescentes foram capturados, além de duas armas apreendidas.

A ação realizada na noite da última terça-feira (07) resultou nas capturas de Rubens Atila Machado do Nascimento (33), que já responde por furto e posse ilegal de arma de fogo, Francisco Lucas Costa de Castro (18), Jonata Machado do Nascimento (32), ambos sem antecedentes criminais, e de dois adolescentes com idades de 16 e 17 anos. O grupo foi abordado após perseguição policial, na Rodovia CE – 060, no município de Acarape – AIS 13. com eles foram apreendidas duas armas, sendo uma pistola calibre 380 e um revólver cal. 38, além de 17 munições, 230 gramas de maconha e cinco celulares.

Conforme o delegado Raphael Vilarinho, titular da DRF, o grupo é responsável por diversos assaltos ocorridos em comércios e casas na AIS 04. “Com as capturas deles, conseguimos evitar um assalto que eles realizariam esta semana em uma residência no bairro Luciano Cavalcante”, afirmou o delegado.

As investigações acerca do grupo criminoso teve início após as prisões, também realizadas pela DRF, no último dia 27 de janeiro, de outros dois integrantes do mesmo grupo, porém envolvidos em roubos a instituições financeiras. Após as prisões de Marcos Antonio Sousa da Silva (27), o “Marquinhos”, que responde por receptação e crime de trânsito, e Cornelio Soares de Souza Filho (39), o “Chocolate”, que responde por roubo e tráfico de drogas. As prisões ocorreram em Horizonte na AIS 9 do Estado.

Os três adultos foram encaminhados à sede da DRF, onde foram autuados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e corrupção de menor. Já os adolescentes foram encaminhados para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde foram registrados atos infracionais.

Fonte: SSPDS