Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Dois engenheiros e um pedreiro foram indiciados nesta quinta-feira (30), pelo desabamento do Edifício Andrea, em Fortaleza. A tragédia no bairro Dionísio Torres, que aconteceu em outubro do ano passado, deixou nove mortos e sete feridos. Os três envolvidos foram responsáveis por uma obra que estava sendo realizada nas pilastras do edifício no dia do desmoronamento.

O indiciamento é parte do inquérito instaurado pela Polícia Civil para investigar as causas do desabamento e servirá de base para o Ministério Público (MP) decidir se irá denunciar os investigados. Se tiver denúncia do Ministério Público e a Justiça a aceitar, eles se tornarão réus. Até lá, eles respondem pelo caso em liberdade.

De acordo com um laudo da Polícia Civil e da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), os dois engenheiros e o pedreiro atuaram de forma “determinante” para a queda do prédio.

O prédio, onde moravam 11 famílias, tinha começado a passar por reparos estruturais um dia antes da queda, segundo moradores e o delegado que investigou o caso. O edifício tinha 7 andares e desabou no dia 15 de outubro de 2019. Os trabalhos de resgate duraram 5 dias, em mais de 103 horas de buscas, e envolveram centenas de bombeiros e voluntários.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp