Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha avisou à Procuradoria Geral da República que ele, enfim, vai delatar. Em reunião com advogados e procuradores, falaram que agora começarão a colher as informações que o ex-deputado tem para entregar.

O ex-presidente da Câmara passou a colocar no papel as histórias que quer contar aos procuradores. Em junho, o advogado Délio Lins e Silva, recém contratado por Cunha, teve um encontro com um assessor de confiança do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em Brasília. Forneceu uma amostra do que o ex-deputado pode revelar.

Entre as histórias que Cunha promete revelar um suposto esquema de cobrança de propina relacionada à liberação de verba do Fundo de Investimento do FGTS. Se ele, de fato, delatar alvos com foro privilegiado, as negociações serão todas feitas com procuradores de Brasília e Cunha poderá ser transferido para o presídio da Papuda, no Distrito Federal.