Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os primeiros movimentos do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), com sinais voltados ao Governo do Estado em 2018, geram incômodos ao núcleo político do governador Camilo Santana (PT). O Jornal Grande Porto antecipou, na coluna política do jornalista Luzenor de Oliveira, edição desta semana, as manifestações de assessores mais próximos para Roberto Cláudio se viabilizar como pré-candidato à sucessão estadual.

Roberto é firme no discurso de que, ao ser reeleito, cumprirá o segundo mandato de prefeito da Capital até o dia 31 de dezembro de 2020. Os olhos de RC brilham, porém, quando assessores mais próximos o abordam sobre a sucessão de 2018. Roberto abre um largo sorriso,  diz que o governador Camilo Santana é candidato natural à reeleição, mas, nas entrelinhas, deixa ar de esperança: quem sabe!

O ‘’quem sabe’’ resume no seguinte aspecto: Camilo é candidato natural à reeleição dentro do grupo dos irmãos Ferreira Gomes, mas precisa decolar nas pesquisas de intenção de votos que o dêem condições para ganhar a eleição sem muitas dificuldades. Ao mesmo tempo, Roberto precisa ampliar índices de aprovação da administração, melhorando a comunicação e articulação política.

O cenário eleitoral de 2018 é separado por apenas um ano – março de 2017 a março de 2018. O período é curto, mas o suficiente para quem tem a máquina nas mãos – tanto RC quanto Camilo, para se viabilizar. O prefeito Roberto Cláudio sonha com o Governo do Estado. Pode ser em 2024, mas, para aliados mais íntimos, o momento é 2018. Coluna política com o jornalista Luzenor de Oliveira.