Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Durante bate-papo mediado pelo senador Cid Gomes na noite desta terça-feira (28/07) o tema “Cultura” mereceu uma atenção diferenciada do mediador, que solicitou aos internautas perguntas sobre o tema dirigidas aos pré-candidatos.

Para Salmito, a indagação foi sobre a situação da Avenida Monsenhor Tabosa, corredor comercial localizado no centro histórico-cultural de Fortaleza.

A Cultura é também economia, com a economia criativa, associada à economia do turismo, e é no Centro Histórico de Fortaleza (Monsenhor Tabosa, Seminário da Prainha, Praça da Estação, Passeio Público, Praça José de Alencar, Praia de Iracema), nesse quadrilátero, nesse território, que vai até a Praça do Ferreira e Praça da Estação, é que está a maior parte da nossa riqueza histórico-cultural, da nossa memória, da nossa cidade, da nossa gente. Enfim, é uma área que já tem punjança econômica. É um dos territórios que mais geram emprego e renda com carteira assinada no Estado do Ceará. Depois de Fortaleza, é o território que, sozinho, mais gera ICMS, pontuou Salmito.

Salmito também destacou que, apesar da punjança e vitalidade, é uma área que precisa ser requalificada. Ele lembrou que Fortaleza acabou de alcançar a condição, pela Unesco, de Cidade Criativa exatamente nessa região do centro histórico, praia de Iracema e av. Monsenhor Tabosa e salienta que o próximo prefeito precisa avançar nessa direção.

Podemos trabalhar no projeto, ao mesmo tempo, a nossa história, a nossa cultura, habitação e podemos trabalhar a consolidação da nossa economia.

Salmito assegurou que é possível transformar essa “joia territorial” numa operação urbana consorciada e afirmou que só quem pode fazer essa operação no Pacto Federativo Brasileiro é o município.

A nossa expectativa é construir um projeto de requalificacão que envolva o Centro Histórico de Fortaleza na perspectiva do turismo, da cultura e da economia.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp