Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A eleição mais pulverizada da história para presidência da Mesa Diretora do Senado – com oito candidatos concorrendo ao pleito – será realizada com o uso de cédulas. Após ter sido adiada, nessa sexta-feira, os senadores chegam ao acordo do “voto no papel”, que permitirá aos parlamentares que quiserem declarar abertamente seus votos.

+ A reunião para a escolha da Mesa Diretora do Senado foi adiada após cinco horas de discussões.

Cadidatos que estão concorrendo a presidência da Casa: Ângelo Coronel (PSD-BA), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Espiridião Amin (PP-SC), Fernando Collor (Pros-AL), Major Olímpio (PSL-SP), Renan Calheiros (MDB-AL), Reguffe (sem partido-DF) e Simone Tebet (MDB-MS), que declarou hoje sua candidatura avulsa.

Além do presidente, os senadores elegerão dois vice-presidentes e quatro secretários. O presidente da Casa é responsável pela definição de quando e do que é votado em Plenário, e quando. Além disso, o presidente do Senado também decide a votação conjunta do Congresso (Senado e Câmara dos Deputados).