Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Preso há cerca de três meses, o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara, vai responder nesta terça-feira, 7, pela primeira vez a um interrogatório em audiência conduzida pelo juiz Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava Jato em Curitiba (PR).

O peemedebista pretende, segundo tem revelado a interlocutores, falar sobre temas que podem incomodar o Palácio do Planalto. Segundo eles, Cunha quer falar sobre as perguntas que sugeriu que fossem feitas ao presidente Michel Temer, mas acabaram vetadas por Moro.

Em novembro do ano passado, Moro vetou 21 das 41 perguntas elaboradas pela defesa do ex-presidente da Câmara a uma das testemunhas arroladas no processo de Cunha: o presidente Temer.

O juiz considerou os questionamentos inapropriados, já que não há envolvimento de Temer na ação penal a que Cunha responde. Uma das perguntas é se Temer foi comunicado por Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás, de uma suposta proposta financeira para que ele permanecesse no cargo na estatal.

Com informações O Estado de São Paulo