Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O INSS retomou a obrigação da prova de vida de seus beneficiários. Quem não fizer o procedimento no prazo deve regularizar a situação no banco assim que possível para evitar a suspensão do pagamento. O beneficiário tem até seis meses para provar que está vivo e não ter sua renda previdenciária bloqueada. Segundo contagem do instituto, 24 milhões de segurados; entre eles milhares de cearenses já fizeram a prova de vida antes do retorno da obrigatoriedade e estão dispensados de refazer a comprovação neste ano. A obrigação do procedimento estava suspensa desde março de 2020, em razão da pandemia de Covid-19. O INSS estima que 11,8 milhões de brasileiros devem realizar a prova de vida entre junho e dezembro deste ano. Para evitar aglomerações, foi elaborado um calendário.

Tradicionalmente a prova de vida é feita no banco onde é feito o pagamento do benefício. Basta comparecer na agência no horário reservado para o atendimento preferencial com o CPF, um documento com foto e o cartão do benefício. Aposentados e pensionistas que tiverem a biometria bancária cadastrada poderão usar qualquer caixa  eletrônico para fazer a prova de vida, tendo em vista que muitos bancos aceitam qualquer transação realizada como comprovação.

Alguns beneficiários foram convocados a fazer a comprovação por reconhecimento facial no projeto-piloto do INSS. Quem ainda não realizou o procedimento precisa fazê-lo, pois serão os primeiros da fila no bloqueio de pagamentos. Para desbloquear o benefício será preciso preencher um formulário pelo Meu INSS, antes de ir ao banco.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp