Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, disse que não é intenção do governo dos Estados Unidos promover uma guerra comercial, afirmou nessa terça-feira, 20, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, após conversa com o norte-americano.

A cobrança pelos EUA de taxas sobre importações de alumínio e aço prejudica a indústria do País, que é consumidora de semiacabados brasileiros como matéria-prima, disse Meirelles a Mnuchin, de acordo com relato do brasileiro.

Em uma conversa “boa e produtiva”, segundo Meirelles, Mnuchin demonstrou bom entendimento da situação brasileira e prometeu conversar com seu colega do Departamento do Comércio, Wilbur Ross.

O ministro ressaltou que o Brasil não solicitou ainda de formal a isenção da cobrança das alíquotas de 10% sobre o alumínio e 25% sobre o aço impostas pelos EUA mais cedo neste mês. “Perguntei a ele que contrapartidas os Estados Unidos vão pedir em retorno e ele disse que não tem ideia, até que as negociações tenham início”, disse Meirelles.

A princípio, os EUA abriram exceção apenas para os produtos do Canadá e México. A reação nos mercados financeiros à investida do governo do presidente Donald Trump foi imediata, com os investidores temendo escaladas e retaliações. O Brasil é o segundo maior exportador de aço para os EUA, tendo enviado à maior economia do mundo 4,7 milhões de toneladas em 2017.

A jornalistas, Meirelles disse ter mostrado a Mnuchin que a balança comercial favorece os Estados Unidos, que têm saldos comerciais de bens que superam 90 bilhões de dólares em 10 anos.

Com informações da Reuters

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp