Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Executiva Regional do PMDB, senador Eunício Oliveira, começa a semana com mais uma vitória nas articulações para manter a unidade do bloco que o apoiou nas eleições de 2014 e conseguiu, no primeiro momento, convencer o senador Tasso Jereissati (PSDB) a impedir a ida do empresário e ex-vice-governador Maia Júnior para o secretariado do Governador Camilo Santana (PT).

O bloco de oposição ao Governo Camilo, ao prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) e aos irmãos Cid e Ciro Gomes (PDT) é puxado pelo PMDB e tem como principais aliados o PSDB, o PR e o Solidariedade.  O grupo está ainda mais fortalecido com a entrada do PSD e do PMB que, sob a orientação do conselheiro e presidente do TCM, Domingos Filho, romperam com o Governo do Estado.

Eunício que, no início de fevereiro assumirá a Presidência do Senado – o cearense é candidato de consenso no PMDB, tem apoio da maioria dos tucanos e de parte da bancada do PT para ser o sucessor de Renan Calheiros (PMDB), sabe que, para se lançar ao Governo do Estado ou mesmo disputar à reeleição em 2018, precisa unir forças e garantir um bom palanque partidário.

Com o PSDB, PR, SD, PMB e PSD e outras siglas menores, Eunício Oliveira mantém a unidade da oposição como plataforma para as eleições de 2018. Eunício sentiu a presença dos irmãos Ferreira Gomes no movimento para atrair o PSDB – leia-se Tasso, para a administração estadual. Tasso, porém, está bem mais próximo hoje ao peemedebista. Com a vitória de Eunício na sucessão de Renan Calheiros, Tasso é um dos nomes do PSDB para presidir uma importante comissão técnica.

Simultâneo a corrida pela Presidência do Senado, o peemedebista não se descuida do quadro local e, ao ver a luz amarela no PSDB em direção ao Palácio da Abolição, colocou o pé no acelerador, conversou com o tucano Tasso Jereissati e o demoveu da ideia da ida de Maia Júnior para o Governo Santana.

Pessoas mais próximas a Tasso, são unânimes: Maia pode até aceitar o convite de Camilo Santana, mas o fará sem o carimbo do PSDB. Ou seja, desfilia-se do PSDB para assumir qualquer cargo no primeiro escalão do Governo do Estado. As especulações e desdobramentos sobre mudanças no secretariado estadual marcarão a semana política no Ceará. O governador Camilo Santana quer definir novos nomes do primeiro escalão antes da viagem de descanso que fará ao exterior a partir da próxima sexta-feira.