Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente do Senado,  Eunício Oliveira (PMDB) divulgou nota, nesta sexta-feira (19) repudiando a acusação feita pelo diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud, de que teria recebido R$ 5 milhões pela atuação em uma Medida Provisória que disciplinava créditos de PIS/Cofins.

Eunício afirmou que os diálogos relatados pelo delator nunca aconteceram. “São imaginários e mentirosos, como é possível constatar na prestação de contas do diretório nacional de PMDB ao TSE. No ano de 2013 não há doações ao partido conforme diz o delator, como é possível constatar nas prestações de contas do diretório nacional, que são públicas e podem ser verificadas nas declarações ao TSE.”, destaca.

O senador completa ainda que não usa e nunca usou suas funções legislativas para favorecer empresas públicas ou privadas. “Como relator revisor, o senador recebeu representantes do setor sim, como é absolutamente normal em casos de relatoria”, ressalta.

Disse ainda, que as contribuições eleitorais do grupo JBS para a companha de 2014 aconteceram sim, e estão devidamente declaradas à justiça eleitoral na prestação de contas do candidato Eunício Oliveira”, finaliza a nota.