Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Ex-deputados estaduais e federais, que tentaram se eleger vereadores em Fortaleza, amargam votações inexpressivas nas urnas. Eleito como uma das surpresas à Câmara Federal em 2014, o cabo Sabino não conseguiu se reeleger em 2018 e, nesse domingo (15), recebeu apenas 2.589 votos. Sabino é filiado ao Avante e está na aliança com o PROS que tem o Capitão Wagner no segundo turno da disputa pela Prefeitura de Fortaleza.


A frustração com as urnas é carregada, também, pelo ex-deputado federal Eudes Xavier que concorreu à Câmara Municipal e somou apenas 2.746 votos, ficando na suplência de uma bancada com três parlamentares e bem distante da perspectiva de ser convocado.
Três ex-deputados estaduais – Paulo Facó (PTB), Mário Hélio (PSD) e Augustinho Moreira (PV), não se deram bem e receberam votações que os deixam longe da volta à atividade parlamentar. Facó recebeu 2.045 votos; Moreira somou 3.806 votos, e Mário Helio ficou com 3.921 votos.

MORONI VÊ NOVA DERROTA DO FILHO


A frustração não é apenas dos ex-parlamentares que entraram na briga por uma vaga na Câmara Municipal de Fortaleza. Os herdeiros, por exemplo, dos ex-deputados federais Moroni Torgan e Raimundo Gomes de Matos acordaram na segunda-feira buscando explicações para votações baixas após uma exaustiva campanha. O filho do vice-prefeito Moroni Torgan, Mosiah, que, em 2018, concorreu à Câmara Federal, tentou ser vereador pelo PDT, mas recebeu minguados 3.808 votos. Mosiah não tem perspectiva de ser convocado porque a suplência é muito distante em relação aos vereadores eleitos pelo PDT.


A frustração é amargada, ainda, pelo ex-deputado federal Raimundo Gomes de Matos que, pela segunda vez, tentou eleger o filho Pedro à Câmara Municipal. Em 2016, Pedro ficou como suplente e, pelo PSDB, chegou a exercer o mandato. Agora, em 2020. O filho de Raimundo Matos lutou para ser vereador, filiou-se ao PROS e saiu das urnas com 5.139 votos. Pedro abandonou o PSDB por ter feito os cálculos e chegado à conclusão de que, com a liderança do Capitão Wagner, conquistaria uma vaga de vereador. O sonho ficou adiado, Pedro está como primeiro suplente e aposta na vitória do Capitão Wagner no segundo turno para ocupar uma cadeira na Câmara de Vereadores.

Confira mais detalhes acessando https://cearaagora.com.br/_eleicoes-2020/

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp