Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Exército Brasileiro, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), realiza um esforço concentrado para destruir armas apreendidas pelos órgãos de segurança pública e que estão atualmente armazenadas nos fóruns, já com decisão judicial determinando a destruição. Trata-se da Operação Vulcão que, só no Ceará e no Piauí, vai destruir 2,4 mil armas.

A atividade ocorre em dois dias. Em 28 de fevereiro, a partir das 8h, a 10ª Região Militar vai realizar a pré-destruição de todo o armamento entregue pela polícia, no 10º Depósito de Suprimento, inutilizando seu uso e preparando o seu transporte para o local de destruição. São armas utilizadas em ações criminosas, em delitos de ordem pública ou apreendidas de pessoas não habilitadas ou sem registro.

No dia 29 de fevereiro a destruição efetiva ocorre na Companhia Siderúrgica do Pecém. As armas serão desmanchadas em alto forno, superaquecido, e reaproveitadas para a cadeia de produção da siderúrgica.