Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou nesta sexta-feira (1º), que a expectativa de vida do cearense cresceu em 2016. Os dados motram que houve um aumento de dois meses em relação a 2015, quando a expectativa era de 73,6 anos. O Estado ocupa a 12ª posição no ranking brasileiro, abaixo da média do Brasil, que é de 75,8 anos.

No Ceará, as mulheres vivem mais do que os homens, em média, 7,9 anos. Ainda segundo os dados, em 2016, as cearenses tinham uma expectativa de vida de 77,8 anos, enquanto os homens, de 69,9 anos.

No Nordeste, o Rio Grande do Norte tem melhor condição do que o Ceará, com média de 75,7 anos. Na segunda posição da região, Pernambuco tem 73,9 anos. Entre as Unidades da Federação, a maior expectativa de vida foi encontrada em Santa Catarina, 79,1 anos, e a menor no Maranhão, 70,6 anos.

A mortalidade na infância (de crianças menores de cinco anos de idade) no Brasil caiu de 16,1 por mil em 2015 para 15,5 por mil em 2016. Em 1940, a chance de morrer entre 1 e 4 anos era de 30,9%, mais que o dobro do que foi observado em 2016. No Ceará esse percentual é de 14,4 para cada grupo de mil nascidos vivos. Em 2015, era de 15,07 para o mesmo grupo de habitantes.