Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A expectativa para a taxa básica de juros em 2018 permaneceu em 6,75% na pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira, 15, mas foi reduzida para o ano que vem, com as projeções para a inflação sendo mantidas após o IPCA ficar abaixo do piso da meta no ano passado.

A estimativa para a alta do IPCA em 2018 continua sendo de 3,95%, ante meta de 4,5% com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. Para 2019, a conta dos economistas consultados é de 4,25%, sendo que nesse caso o objetivo é de 4,25%, com margem também de 1,5 ponto.

O IPCA acumulou no ano passado alta de 2,95%, nível mais baixo desde 1998 e depois de ter encerrado 2016 com avanço de 6,29%. O nível baixo da alta dos preços mantém o caminho aberto para mais redução dos juros básicos. Porém, sinais de mais pressão inflacionária, reduziram as apostas no mercado de um novo corte neste ano.

Os especialistas consultados na pesquisa semanal do BC continuam vendo um corte de 0,25 ponto percentual na Selic na reunião de fevereiro do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, para 6,75%, após fechar o ano passado na mínima histórica de 7%.

Para 2019, a expectativa para a Selic caiu no Focus a 8,%, de 8,13% na mediana das projeções no levantamento anterior. Por outro lado, os economistas que mais acertam as previsões, o chamado Top-5, veem os juros básicos a 6,5% ao final deste ano, com dois cortes de 0,25 ponto, em fevereiro e março, e a 8% em 2019.

Para a atividade econômica, o Focus trouxe ainda que o Produto Interno Bruto deve ter crescido 1,01% em 2017, sem alterações. Para 2018, a expectativa é de expansão de 2,7%, 0,01 ponto percentual a mais do que antes, e para 2019 é de 2,8%, sem alterações.

Com informações da Reuters