Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A 65ª edição da Exposição Agropecuário do Ceará (Expoece) será realizada no mês de novembro entre os dias 9 e 17, diferentemente dos anos anteriores. O evento acontecerá no parque de Exposições Governador César Cals, em Fortaleza, e a expectativa dos organizadores é que a exposição atinja um público de 200 mil pessoas ao longo dos 9 dias de atividades.

Iniciativa da Associação dos Criadores do Ceará (ACC), a feira receberá criadores e expositores de todo o país, especialmente do Ceará e demais Estados nordestinos. O presidente da Associação, Walfrido Monteiro, foi entrevistado pelos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida no Jornal Alerta Geral desta terça-feira (17).

A expectativa é de que a geração de negócios a curto, médio e longo prazo supere o patamar de R$ 12 milhões registrado em 2018. Walfrido Monteiro ressalta que além das negociações que podem ser realizadas durante a feira, a exposição dá aos produtores a oportunidade de ter acesso a palestras e cursos voltados, este ano, para a temática de gestão do agronegócio. O presidente da ACC acrescenta que essa iniciativa serve “para aguçar no nosso produtor a ideia de que a fazenda é um negócio, é uma empresa”.

Questionado sobre a atratividade da feira para produtores da região dos Inhamuns, onde há a maior produção de ovinos e caprinos do Ceará, e a facilidade na obtenção de crédito para investimento no setor agropecuário, Walfrido informa que serão oferecidas linhas de crédito preferencias para o evento, disponibilizadas pelo Banco do Brasil e Banco do Nordeste.

Segundo Walfrido, durante a feira serão gerados cerca de 1 mil à 1.200 empregos diretos, durante os dias do evento.  O presidente da ACC ainda destaca que além dos empregos gerados na exposição, as oficinas ofertadas para a qualificação dos criadores visam a participação empreendedora para a melhoria da economia rural.

“Isso com certeza vai trazer uma melhor agregação de valor na nossa matéria prima, que vai resultar em uma melhoria no emprego rural”, afirma Walfrido Monteiro.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp