Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Prefeitura de Fortaleza é mais uma vez destaque de uma administração transparente. A capital ficou em 4º lugar no ranking transparência COVID, alcançando pontuação 75, conforme avaliação realizada pela ONG Open Knowledge BR. A entidade avaliou a qualidade dos dados e informações relativos à pandemia do novo coronavírus com base nas informações publicados em portais oficiais da União, estados brasileiros e suas capitais.

O Índice de Transparência da Covid-19, desenvolvido pela Open Knowledge BR, consiste de um indicador composto por três dimensões: Conteúdo, Regularidade e Formato. Cada dimensão é constituída por um conjunto de aspectos avaliados separadamente, totalizando 26 indicadores. O Índice é representado em uma escala de 0 a 100, em que 0 representa o ente menos transparente e 100, o mais transparente.

Entre as ações que contribuíram para esse reconhecimento está a criação do Comitê de Controle, Transparência e Governança, que surgiu com o objetivo de promover e assegurar que os gastos públicos relacionados ao novo coronavirus fossem ofertados com maior transparência à população. A administração Roberto Cláudio lançou um hotsite especial sobre as ações de enfrentamento à pandemia em Fortaleza e a criação de uma área exclusiva no Portal da Transparência com divulgação dos contratos firmados, processos de aquisição, despesas aplicadas e instituição de uma ouvidoria, permitindo ao cidadão exercer controle social sob a gestão pública municipal.

Essas e outras medidas levaram Fortaleza novamente a ser considerada a 4ª capital mais transparente do Brasil, durante o mês de maio, pela organização não governamental Transparência Internacional (TI).

Para a secretaria chefe da Controladoria e Ouvidoria Geral do Município, Luciana Lobo, esse reconhecimento vem mostrar o compromisso da gestão com uma administração transparente.

“A transparência pública trata, portanto, do aumento da visibilidade dos gastos efetivados pelo governo com qualidade de informação e em espaço temporal. Assegurar o acesso a essas informações facilita o envolvimento de outros setores da sociedade na construção de soluções com a gestão pública”, ressaltou Luciana.

(*)com informação da PMF




Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp