Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A cidade de Fortaleza será a próxima sede dos Jogos Sul-Americanos Escolares, que ocorrerá em dezembro deste ano. O evento deve receber cerca de 1.500 atletas, com idades entre 12 e 14 anos. No total, serão 11 modalidades esportivas na competição.  Esta será a quarta vez que o Brasil sediará os jogos.

O esporte é uma ferramenta muito importante para a inclusão social e o desenvolvimento dos nossos povos e da nossa sociedade. O Brasil tem o legado de uma infraestrutura muito boa em função de tudo que sediamos nos últimos anos. Isso nos dá tranquilidade para assumir um compromisso tão importante, afirmou o secretário especial adjunto do Esporte do Ministério da Cidadania, Marco Aurélio Araújo.

Em 1991, o País recebeu a primeira edição do evento, em Maringá (PR). Já em 2012, Natal (RN) sediou a 18ª edição. Dois anos depois, foi a vez de Aracaju (SE). Na ocasião, 1.800 atletas de 11 países participaram do torneio continental.

Para o presidente da Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), Antônio Hora, a proposta do Brasil foi bem recebida.

Ficou claro aqui que os países gostam de conhecer o Brasil. As crianças que estudam nesses países têm o sonho de, além de praticar esporte, conhecer o mundo. Dentro do nosso continente, o Brasil é um dos principais pontos de realização desse sonho, destacou.

Poucos países na história conseguiram realizar tantos eventos na mesma década. Agora, com toda a expertise que o Brasil tem, é fazer com que os países sul-americanos sejam recebidos em Fortaleza como se estivessem em casa, ponderou.

Em 2019, 168 atletas brasileiros participaram dos Jogos Sul-Americanos Escolares, em Assunção, no Paraguai. Na ocasião, os participantes obtiveram o desempenho recorde. Foram 103 medalhas, sendo 52 de ouro, 28 de prata e 23 de bronze. Foi o melhor desempenho do País na história dos Jogos, superando a edição de Aracaju, quando subimos ao pódio 87 vezes. Todos os anos, os Jogos Sul-Americanos Escolares são realizados com o intuito de contribuir com o desenvolvimento esportivo, cultural e de intercâmbio entre os estudantes.

 

(*) Com informações do Ministério da Cidadania. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp