Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Por trás do calor mais intenso que se tornou parte da rotina dos moradores de Fortaleza, há respaldo em registros: segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o mês de setembro foi o mais quente da Capital desde 1961.

A tendência para o restante de 2020, de acordo com a meteorologista do Inmet, Morgana Almeida, é de que as temperaturas continuem a subir.

A combinação entre altas temperaturas e a umidade do ar também traz prejuízos para o meio ambiente. O estado do Ceará ultrapassou os cinco mil casos de focos de incêndio em 2020, de acordo com o Sistema de Monitoramento e Alerta da Enel Distribuição Ceará. Só em setembro, foram registrados 440 focos de incêndios, sendo 50 deles em um único dia. Este foi o maior registro dos últimos 23 anos.