Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O programa “Future-se” foi lançado na última quarta-feira (17), pelo Ministério da Educação (MEC) e propõe a criação de um fundo de recurso privados para o financiamento de universidades federais do País. De acordo com Henry Campos, reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), as motivações para o projeto contribuem para o cenário de cortes na educação. O reitor se pronunciou em coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (19). Segundo ele, o projeto acompanha a desqualificação da universidade pública e não pensa no futuro.

Estamos em um regime de corte de verba e com esse pacote de novidades, tudo aponta para privatização da universidade pública, essa é a verdade. Esse plano não acena de maneira nenhuma para descontingenciamento ou suspensão do corte de verbas do orçamento da educação, pondera Campos.

Atualmente, o programa está em fase de consulta pública até o próximo dia 7 de agosto. Caso fosse seja uma medida de adesão imediata, Henry Campos afirma que a UFC iria aderir ao Future-se por falta de clareza no que está proposta. Nas próximas semanas, uma banca composta por gestores da Universidade do Estado deve ser formada para tirar dúvidas e formalizar posicionamentos sobre o projeto.

Ainda conforme o gestor, as universidades foram “pegas de surpresa” com o anúncio do projeto.

É algo que foi construído sem qualquer participação da comunidade universitária. Isso já é um ponto que pra mim é muito crítico.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp