Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Muitas pessoas ainda pensam que casos de violência de resumem a agressões físicas, porém este pensamento dá margem para que se desconsidera casos em que vítimas sofrem violência psicológica e não estão conscientes da situação. Na edição do Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (27), a advogada Ana Zélia Cavalcante, no quadro Direito de Família, abordou essa forma de abuso.

De acordo com a advogada, a violência psicológica que acontece de forma mais sutil, quando não se percebe que está sendo vítima de atos que fazem com que sua sanidade seja questionada, é conhecida como gaslighting. Trata-se de um abuso sutil, manipulador, mediante o qual se desgasta a autoestima e a confiança da mulher ou do homem em si mesmo(a) a ponto de anulá-la.

Alguns sinais de violência psicológica:

  • Duvidar constantemente de si mesmo
  • Questionar sua sensibilidade
  • Constantemente pedir desculpas ao parceiro (a)
  • Sentir-se confuso
  • Sentimento constante de infelicidade mesmo em momentos bons
  • Criação de desculpa para justificar comportamento do parceiro (a)
  • Mentir para evitar situações conflituosas

Por que o nome gaslighting?

O nome desse tipo de violência vem do filme Gaslighting, de 1944. No filme, o marido manipula sua mulher com sutileza até convencê-la de que ela imagina coisas, lembra mal as discussões e até a faz duvidar de sua sensatez. Nisso basicamente consiste esse tipo de abuso psicológico.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp