Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O gerente executivo do INSSS em Fortaleza, Francismar Lucena, em entrevista ao Jornal Alerta Geral nesta sexta-feira (09), falou sobre a atual realidade do órgão no que se refere a realização de perícias médicas para liberação de benefícios assistenciais para os segurados. Francismar explica que atualmente a instituição tem efetuado em média 150 perícias médicas por dia.

“Nós temos um balanço atualmente de 150 perícias realizadas, tendo em vista que nós tivemos uma redução das perícias por médico, ou seja, eram 15 perícias, com o problema da Covid, nós só temos 12 perícias por perito médico.”

O gerente pede ainda que a população só compareça as agências se tiver agendado, pois é necessário que se mantenha o controle do fluxo de pessoas a fim de se evitar qualquer contaminação pela Covid-19. Ele ainda pontua que a quantidade de 150 perícias médicas é realmente um número insignificante diante da necessidade que se apresenta:

“A gente sabe que essa quantidade de perícias realizadas por dia é insignificante, não há nem dúvida, porque nós ainda estamos trabalhando, em termos de gerência executiva em Fortaleza, nós estamos trabalhando sim pra abrir mais quatro agências na minha jurisdição. Se a gente conseguir abrir mais uma, serão mais de 300 perícias por dia”

Francismar Lucena pontua alguns problemas que existem, por exemplo, na agência da Parquelândia que tem apenas 4 médicos e que ainda há ajustes que precisam ser feitos na acomodação dos consultórios. Ele diz que na Aldeota são 6 médicos e que um trabalho de engenharia está sendo feito para que essa reforma possa acontecer e assim haja construção de divisórias, rota de fuga e outras coisas.

“A média de atendimento eu acho que não é 10%, porque nós temos uma média de atendimento geralmente diariamente eram 15 perícias por médico, nós tínhamos 99 médicos. Então esses 99 médicos fazem 15 perícias por dia, há três semanas nós estamos fazendo 150 perícias por dia, é insignificante Mas nós temos tele trabalho, a tele analise que o médico faz com relação a análise do anexo do atestado.”

O gerente do INSS diz ainda que todo médico que não está comparecendo devido ao problema dos consultórios, ele está analisando de casa quando você agenda a primeira perícia. Todos os médicos tem uma meta a cumprir, diz Francismar. Ele ressalta que quem deu entrada e está sofrendo com uma sequência de adiamentos, não corre o risco de sofrer prejuízos, pois tudo será pago de maneira retroativa.

“Vai ser pago tudo, ele não pode ter prejuízo, ele não pode ser penalizado por uma coisa que ele não cometeu, é um direito dele adquirido, nós temos também as pensões por morte que depende também de uma análise de perícia medica, que é para o maior inválido, e nós temos as aposentadorias especiais que dependem dessa analise”, finaliza.