Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Aeroporto Internacional Pinto Martins foi leiloado na manhã desta quinta-feira (16), na sede da Bolsa de Valores de São Paulo. A empresa alemã Fraport foi a responsável pelo arremate por R$ 425 milhões e deve investir R$ 1,4 bilhão na modernização e na ampliação do aeroporto. Presentes no processo de venda do terminal de Fortaleza, o governador Camilo Santana e o prefeito Roberto Cláudio afirmaram ser um marco histórico para a evolução estrutural da aviação do Ceará, trazendo ganhos no setor do turismo e elevando a capital cearense na disputa pelo hub da Latam no Nordeste.

“Fiquei muito feliz de participar deste momento, que vai marcar o futuro, não só do Aeroporto de Fortaleza, mas do Estado. O aeroporto vai passar por investimentos e vai se modernizar, oferecer mais conforto. Vai passar pela ampliação da sua área. Tudo isso é fundamental para a nossa disputa pelo hub da Latam no Nordeste. Isso era uma das condições que nos favorecia para a disputa e hoje conseguimos concluir, após praticamente dois anos, com esse leilão”, afirmou Camilo Santana.

O prefeito Roberto Cláudio parabenizou a articulação do governador junto ao Governo Federal, Agência Nacional de Aviação Civil, Secretaria de Aviação Civil, e outras representações que possibilitaram o sucesso no leilão do Pinto Martins. O chefe do Executivo municipal mostrou otimismo quanto ao novo patamar que a Capital alcançará na disputa pela estrutura da Latam no Nordeste. “Esse processo vai garantir a Fortaleza um investimento de mais de R$ 1 bilhão para ampliar o terminal de passageiros, ampliar o terminal de cargas, modernizar e garantir um serviço de mais qualidade para as pessoas. Isso vai gerar na nossa economia mais empregos e oportunidades. Serão novas fronteiras para o turismo em Fortaleza”, disse Roberto Cláudio.

Sobre a empresa responsável pela privatização do aeroporto fortalezense, o governador destacou a relevância da Fraport no mercado mundial, sendo responsável pela administração de vários terminais em países da Europa e nos Estados Unidos. “Estamos muito felizes, pois essa experiência vai possibilitar um novo marco do turismo para a aviação de Fortaleza e do Estado do Ceará”.

Camilo Santana colocou, ainda, o Governo do Ceará à disposição para receber representantes da empresa alemã em Fortaleza para reuniões e apresentação da estrutura do Aeroporto Internacional Pinto Martins. O governador reforçou o compromisso do Governo e da Prefeitura de Fortaleza para trazer cada vez mais resultados para a Capital.

HUB

Hub é um aeroporto que se destaca no contexto de um país ou região pela sua dimensão e pela sua atração de um grande número de voos, abrindo maiores possibilidades de receber visitantes. Também se pode denominar hub ao aeroporto onde uma determinada companhia aérea possui a sua sede, hangares ou terminais dedicados.

A instalação do hub representa um investimento de R$ 4 bilhões e deve promover a geração de 10 mil empregos diretos e indiretos. Caso seja concretizada sua instalação em Fortaleza, também gerará um incremento histórico para o turismo, o comércio e o setor de serviços como um todo. A estrutura representaria um avanço significativo para a economia do Estado, visto que os serviços representam 73% da economia cearense, especialmente no turismo.

Os aeroportos de Salvador, Porto Alegre e Florianópolis também foram leiloados. O governo conseguiu arrecadar com a licitação um valor global de R$ 1,459 bilhão com o leilão, considerando apenas o valor inicial de outorga, a ser pago nas assinaturas dos contratos de concessão. Isso corresponde a um ágio de 93,7% em relação ao montante mínimo inicial previsto de R$ 753,5 milhões.

Considerando o valor total da outorga que os futuros concessionários deverão pagar ao longo dos até 30 anos de contrato, o montante fixo de outorga é de R$ 3,7 bilhões, o que representa um ágio de quase 25% em relação aos R$ 3 bilhões inicialmente planejados. Isso sem contar os montantes variáveis de outorga, que serão pagos no futuro em porcentual da receita gerada.

Além do Aeroporto de Fortaleza, os operadores europeus levaram outros três terminais. A Fraport conquistou também o Aeroporto de Porto Alegre por R$ 290,512 milhões, montante 852% maior que os cerca de R$ 31 milhões iniciais. Já a francesa Vinci Airports ficou com Salvador, ao oferecer R$ 660,943 milhões, o que corresponde a um ágio de 113% ante o valor mínimo de R$ 310 milhões. A operadora foi a única a apresentar proposta pelo terminal, mas chegou a tentar abrir mão do aeroporto, preferindo disputar Fortaleza. Ao final, perdeu as disputas pelo terminal cearense e também pelo aeroporto de Florianópolis.

Por fim, a Zurich ficou com o terminal de Florianópolis, com um lance de R$ 83,333 milhões, o que corresponde a um ágio de 58% ante um valor mínimo de R$ 52,75 milhões.

Com Agências

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp