Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Novos 48 leitos foram inaugurados no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM) pelo governador do Ceará, Camilo Santana, nesta segunda-feira (29). O setor de emergência da unidade agora passará de 82 para 130 leitos disponíveis. O equipamento, instalado no Posto 3 do hospital, vai acolher, principalmente, pacientes cardiopatas e/ou com deficiências pulmonares – áreas de referência do Hospital do Coração, como é popularmente conhecido.

O governador Camilo Santana disse que, apesar da crise político-econômica pela qual o País passa, os investimentos na área da saúde não podem parar. “Não temos medido esforços para garantir melhores condições aos pacientes que precisam de atendimento nos hospitais públicos”, afirma.

Durante a solenidade, no corredor da unidade hospitalar, o chefe do Executivo autorizou a ampliação de mais vagas no local. “Já recebi a demanda dos vereadores para que a gente possa fazer mais leitos, uma nova estrutura, para que as pessoas sejam melhor acolhidas”, assegurou. Ao todo, a nova Emergência recebeu investimento da ordem de R$ 1,5 milhão, recursos exclusivos do Governo do Ceará.

Segundo o secretário da Saúde, Henrique Javi, as melhorias no Hospital do Coração refletem a atual demanda populacional. “A saúde precisa estar se reinventando o tempo inteiro. Um fenômeno que deve ser considerado é o envelhecimento da população no Ceará. Em um século, ganhamos 35 anos na expectativa de vida. Isso faz com que a gente tenha mais atenção com o paciente, como a que esta nova unidade propicia”, afirmou. Ainda segundo Javi, estruturas semelhantes que operam no Interior também estão sendo requalificadas, como unidades na região Norte e no Cariri.

Para o diretor do Hospital do Coração, Frederico Augusto de Lima, a entrega da nova unidade é um alento não só para os pacientes, como também para os funcionários do hospital. Segundo ele, o espaço vai ajudar a amenizar um dos principais desafios do atendimento público: a superlotação. “Há vários fatores que têm feito com que o HM seja mais procurado. Um deles é que os pacientes estão deixando os planos de saúde, por questões econômica. Por outro lado, o HM é reconhecido e respeitado pelo serviço de cardiologia. Isso faz com que a procura seja maior”, ressaltou.

Com informações O Governo do Estado do Ceará