Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Integrantes do sindicato que representa os servidores do Banco Central e representantes do governo federal se reuniram, mas não conseguiram encontrar um denominador em comum para por fim a greve da categoria. Por isso, a paralisação continuará por tempo indeterminado.

Segundo o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), o governo não trouxe nenhuma proposta oficial.

De acordo com o ‘Correio Braziliense', o presidente do sindicato, Fábio Faiad, a greve dos servidores está sendo feita de forma responsável, respeitando a lei dos serviços essenciais. Contudo, o Pix e outras atividades do BC não se encontram dentro do escopo da lei, portanto, a greve poderá interromper parcialmente tanto o sistema instantâneo de pagamento quanto a distribuição de moedas e cédulas.

A greve começou no 1º de abril, após ter sido aprovada por meio de assembleia virtual, e tem como objetivo o reajuste salarial e a Reestruturação de Carreira de Analistas e Técnicos do BC (demandas sem impacto financeiro).

(*) com informações do Correio Braziliense

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp