Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quinta-feira (21) que o governo “observa” e “acompanha” a situação do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, mas não pretende demiti-lo no momento.

Onyx deu a declaração em entrevista à Rádio Gaúcha, na qual foi perguntado se o presidente Jair Bolsonaro exonerará Álvaro Antônio, suspeito de envolvimento em candidaturas de “laranjas” do PSL em Minas Gerais. O Ministério Público do estado apura o caso, e o ministro nega envolvimento em irregularidades.

Claro que o governo observa, acompanha, mas não tem nada nesse sentido [de exonerar o ministro], nesse momento, não, afirmou Onyx.

Segundo o chefe da Casa Civil, comentários sobre uma eventual demissão do ministro do Turismo não passam de “boataria”. Onyx declarou que é preciso dar tempo para que as investigações aconteçam, o que é observado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Tem que se dar o tempo também para que os esclarecimentos todos venham a público, aconteçam, aí claro, se houver alguma coisa de gravidade, de responsabilidade direta do ministro, o presidente vai analisar e tomar a decisão, declarou Onyx.

Álvaro Antônio é um dos políticos do PSL, partido de Bolsonaro, envolvidos nas suspeitas de candidaturas laranjas nas eleições de 2018.

Ao Jornal Nacional, a ex-candidata a deputada estadual em Minas Gerais Cleuzenir Barbosa declarou que assessores do ministro pediram a ela que transferisse dinheiro público de campanha para empresas.

Clauzenir Barbosa disse, ainda, que recebeu verbas de campanha do ministro, que era presidente do PSL em Minas Gerais e disputava uma vaga de deputado federal. Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo”, Cleuzenir afirmou que o ministro do Turismo sabia do esquema para PSL para lavar dinheiro.

Em nota, Marcelo Álvaro Antônio afirmou que jamais orientou qualquer assessor a praticar ato ilícito e que, ao tomar conhecimento da denúncia, determinou que fosse apurada. O ministro declarou ainda que Cleuzenir foi chamada a prestar esclarecimentos e nunca apresentou qualquer indício que atestasse a veracidade das acusações.