Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O grupo do presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho, está perdendo para o Governador Camilo Santana (PT) o controle do PMB (Partido da Mulher Brasileira) no Ceará. Uma reportagem deste site revelou, nessa terça-feira, que a direção nacional do PMB não renovou a Comissão Provisória regional da agremiação. O partido tem como presidente a ex-prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar, esposa de Domingos.

A reportagem do cearaagora apurou que, no último final de semana, avançaram as articulações para o PMB integrar a base de apoio ao Governo do Estado.  A presidente nacional do partido, Suêd Haidar, esteve no Ceará, se reuniu com o governador Camilo Santana e teria decidido mudar o comando regional do PMB, impondo, porém, uma condição: que os novos dirigentes garantissem a presença de um deputado federal para representar a legenda em Brasília. Camilo teria aceito a proposta.

Um dos pontos de descontentamento do comando nacional do PMB com o grupo que recebe orientação política do presidente do TCM teria sido a decisão do deputado federal Domingos Neto, que, em 2015, assumiu a direção regional da legenda, ter usado o partido como janela para desembarcar no PSD. Neto dirige hoje o Diretório Estadual do PSD que tem o atual Ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, como Presidente Nacional.

O grupo de Domingos Filho ainda não entregou os pontos sobre os rumos do PMB.  A assessoria de imprensa da sigla no Ceará, por meio de uma mensagem encaminhada ao Jornalista Beto Almeida, comentarista de política do Jornal Alerta Geral (FM 104.3 – Grande Fortaleza + 22 emissoras no Interior do Estado), confirmou que a Comissão Provisória do PMB não foi renovada, a exemplo do que teria acontecido com os demais estados, à exceção do Rio de Janeiro. Os aliados de Domingos tentam manter o controle do partido e evitar que o PMB cai nas mãos do Governador Camilo Santana.

O cearaagora apurou, ainda, que a Executiva Nacional do PMB decidiu não apenas recusar o apelo dos atuais dirigentes regionais para renovação da Comissão Provisória do partido, como deixou, também, o prazo de validade da Comissão Provisória caducar. Ou seja, perder a validade. Hoje, com essa situação, o PMB no Ceará não tem direção oficializada e os seus atos podem ser nulos.