Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ibope divulgou na noite dessa quarta-feira, 5, a primeira pesquisa com intenções de voto à Presidência da República sem o nome do petista Luiz Inácio Lula da Silva, que, na sexta-feira da semana passada, teve o registro da candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Como substituto de Lula, entra o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad.

A pesquisa, contratada pela TV Globo e pelo Jornal O Estado de São Paulo, aponta o candidato do PSL, Jair Bolsonaro (PSL), com 22% de apoio dos eleitores. Em segundo lugar, empatados, estão Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT), com 12%, seguidos por Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%, e Fernando Haddad (PT), com 6%. Ciro saiu de 9% (Ibope, dia 20 de agosto) para os atuais 12% de apoio dos eleitores.

A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-05003/2018, que tem margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e um intervalo de confiança de 95%, ouviu 2.002 eleitores em 142 municípios brasileiros entre os dias 1º e 3 de setembro, foi divulgada, em primeira mão, na noite desta quarta-feira, pelo Jornal Nacional, da TV Globo.

Segundo os números do Ibope, 21% dos entrevistados responderam que votarão em branco ou irão anular o voto, enquanto 7% não souberam ou não quiseram responder. A pesquisa anterior do Ibope, divulgada em 20 de agosto, apontava Bolsonaro com 20% no cenário sem Lula, seguido por Marina (12%), Ciro (9%), Alckmin (7%), Haddad (4%) e Alvaro Dias (3%).

Sobre esse levantamento, o Ibope divulgou a seguinte nota:

“Como informado ontem, na pesquisa de intenção de votos realizada entre os dias 1 e 3 de setembro, para seguir as decisões decorrentes do indeferimento da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, que proibiram, entre outras coisas, que o ex-presidente participasse, como candidato, de atos de campanha, o Ibope deixou de aplicar o questionário em que o nome de Lula aparecia como postulante ao cargo de presidente da República, como constava do registo da pesquisa feito no TSE.

O instituto pesquisou apenas o cenário em que o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT, aparecia juntamente com os candidatos que pediram registro.

O Ibope indagou ao TSE se este procedimento estava correto.

Em sua decisão de hoje, o ministro Luiz Felipe Salomão explicou que, segundo a lei, o TSE está impedido de responder a consultas como essa durante o período eleitoral.

Diante disso, e convicto de que agiu de boa fé e dentro da lei, e, ainda, no intuito de não privar o eleitor de informações relevantes sobre a situação atual das intenções de voto na eleição presidencial, o Ibope decidiu liberar os resultados da pesquisa para divulgação, decisão que contou com o apoio dos contratantes TV Globo e o ‘Estado de S.Paulo’.”

Preferência dos eleitores na disputa presidencial:

– Jair Bolsonaro (PSL): 22%

– Marina Silva (Rede): 12%

– Ciro Gomes (PDT): 12%

– Geraldo Alckmin (PSDB): 9%

– Fernando Haddad (PT): 6%

– Alvaro Dias (Podemos): 3%

– João Amoêdo (Novo): 3%

– Henrique Meirelles (MDB): 2%

– Guilherme Boulos (PSOL): 1%

– Vera Lúcia (PSTU): 1%

– João Goulart Filho (PPL): 1%

– Cabo Daciolo (Patriota): 0%

– Eymael (DC): 0%

– Branco/nulos: 21%

– Não sabe/não respondeu: 7%

O Ibope decidiu divulgar a pesquisa sem o nome do ex-presidente Lula após consulta ao TSE. A empresa registrou a pesquisa no TSE antes de a Corte barrar a candidatura de Lula, e fez um questionário com dois cenários: um com Lula e outro com Haddad. Com a decisão do TSE, os entrevistadores não apresentaram aos entrevistados o cenário com Lula.

O Ibope fez uma consulta ao tribunal para saber se poderia divulgar uma pesquisa cujo questionário original acabou não sendo totalmente seguido. O ministro Luis Felipe Salomão decidiu que não seria possível responder à consulta durante o período eleitoral, pois correria o risco de antecipar uma posição sobre um assunto que pode passar por julgamento no TSE. Com isso, o Ibope divulgou nota dizendo que, diante da decisão de Salomão, “convicto de que agiu de boa-fé e dentro da lei”, optou pelo anúncio dos resultados.

Simulação do 2º turno

– Ciro 44% x 33% Bolsonaro (branco/nulo: 19%; não sabe/não respondeu: 4%)

– Alckmin 41% x 32% Bolsonaro (branco/nulo: 23%; não sabe/não respondeu: 4%)

– Bolsonaro 33% x 43% Marina (branco/nulo: 20%; não sabe/não respondeu: 3%)

– Haddad 36% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 22%; não sabe/não respondeu: 5%)

Rejeição

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices:

Bolsonaro: 44%

Marina: 26%

Haddad: 23%

Alckmin: 22%

Ciro: 20%

Meirelles: 14%

Cabo Daciolo: 14%

Eymael: 14%

Alvaro Dias: 13%

Boulos: 13%

Vera: 13%

Amoêdo: 12%

João Goulart Filho: 11%

Poderia votar em todos: 1%

Não sabe/não respondeu: 10%

Observações: os entrevistados podem citar mais de um candidato, portanto os resultados somam mais de 100%; não é possível comparar os resultados desta pergunta com os da rodada anterior, já que Lula não constou como opção de resposta porque sua candidatura foi indeferida.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp