Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

De acordo com estudo da Serasa Experian, em fevereiro de 2018, cerca de 5,025 milhões de micro e pequenas empresas no Brasil estavam inadimplentes, o que representa 21,9% do total de companhias deste porte. Foi um novo recorde identificado desde março de 2016, quando o levantamento passou a ser feito. Ainda no segundo mês do ano, cerca de 1,647 milhão de MPEs do estado de São Paulo estavam com dívidas atrasadas, o que representa 26,4%. Na capital, cerca de 619,3 mil companhias do mesmo porte estavam no vermelho, o que representa 31,6% do total, percentual acima da média nacional e estadual.

No país, as MPEs com contas em aberto em fevereiro de 2018 é 11,0% superior ao registrado em fevereiro de 2017, quando 4,525 milhões de negócios desse porte estavam com dívidas em atraso.

Ainda de acordo com o estudo, do total de 5,025 milhões de MPEs no vermelho, em fevereiro/2018, 45,9% eram prestadoras de serviços, 44,9% empresas comerciais e 8,7% indústrias.

A região Sudeste concentrou a maior porcentagem de micro e pequenas empresas inadimplentes, com 54,0% do total. Em seguida aparece o Nordeste, com 16,3%; o Sul, com 15,8%; Centro-Oeste, com 8,7% e Norte, com 5,3%.

Entre os estados, São Paulo tem o maior número de empresas negativadas, com 32,8% do total. Em seguida está Minas Gerais, com 11,0%, e Rio de Janeiro em terceiro, com 8,2%.

Segundo os economistas da Serasa, a alta de 0,5% em fevereiro/18 do total de MPEs inadimplentes foi a menor dos últimos 10 meses. Isto pode ser um sinal de que, com a maior disseminação do crescimento econômico e com as sucessivas quedas das taxas de juros, a alta da inadimplência das MPEs pode estar chegando ao seu final.

Empresas podem negociar dívidas atrasadas pela internet

Para ajudar as empresas a saírem da inadimplência, a Serasa Experian disponibiliza o Serasa Recupera PJ (www.serasarecupera.com.br), um serviço online para as companhias renegociarem suas dívidas atrasadas diretamente com os credores. Os responsáveis devem se cadastrar gratuitamente no site e acessar a página onde estarão relacionados os credores participantes com os quais a empresa possui alguma conta em aberto, que esteja na base de dados da Serasa. Ao clicar no nome do credor serão apresentadas as pendências e os canais de atendimento disponíveis (telefones, e-mail, chat) para efetivar a renegociação. O cadastro também traz aos responsáveis o benefício de serem avisadas sobre a inclusão de novos débitos com os credores participantes.

Em 2017, o Serasa Recupera ajudou 40 mil companhias inadimplentes a quitarem débitos atrasados, fazendo com que R$ 55 milhões voltassem aos credores.

A ferramenta conta com mais de dois mil credores, de diversos portes e segmentos, e oferece um ambiente ágil e seguro para o fechamento de acordos. Com isso, mais devedores podem sair do vermelho e retomar o acesso ao crédito.

“Nosso objetivo com o Serasa Recupera PJ é reinserir essas empresas devedoras no mercado de crédito. Entendemos que este momento é propício para incentivar a aproximação de quem está devendo o seu credor, pois uma vez chegando a um acordo este último já tem um cliente recuperado para realização de futuros negócios”, diz o diretor de Pessoa Jurídica da Serasa Experian, Marcelo Leal.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp