Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O dia começou com a presença do Corpo de Bombeiros para debelar os últimos focos do incêndio que, na tarde dessa terça-feira, 13, destruiu o galpão do Centro de Triagem da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), na avenida Oliveira Paiva, no bairro Cidade dos Funcionários, em Fortaleza. A unidade dos Correios concentra as mercadorias e produtos que chegam ou saem do Ceará.

A direção da ECT ainda não se pronunciou sobre a dimensão dos danos e prejuízos e a perícia da Polícia Federal começa, após o incêndio debelado, a realizar os serviços de perícia para descobrir a origem das chamas. O galpão tem uma área coberta de 10 mil m² e, no meio da tarde dessa terça-feira, apenas um vigilante estava no local. Foi ele, inclusive, que acionou o Corpo de Bombeiros.

Quem estava saindo de Fortaleza, pelas BRs e CEs ou, mesmo dentro de aviões que sobrevoam a Capital, pode perceber a grande nuvem de fumaça escura. Aos poucos, as informações, com imagens, foram ganhando as redes sociais sobre a origem da fumaça, o que gerou muita apreensão a moradores da área onde está localizado o Centro de Triagem dos Correios.

O major Joel Nobre, do Corpo de Bombeiros, que, na manhã desta quarta-feira, 14, comandava os serviços para apagar os últimos focos de incêndio, disse, em entrevista à TV Verdes Mares, que “apenas o teto de PVC veio abaixo. Mas a edificação da administração está toda ilesa”. Segundo os Correios, depois do resultado das perícias, as indenizações serão pagas. O órgão não informou quando o trabalho no Centro de Triagem vai voltar ao normal.