Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A produção industrial subiu 0,60% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta sexta-feira, 02, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em relação a abril de 2016, a produção caiu 4,5%, queda mais intensa desde outubro de 2016, quando o recuo foi de 7,5%. No ano, a indústria teve queda de 0,7%. No acumulado em 12 meses, a produção da indústria acumulou recuo de 3,6%.

O resultado veio acima da mediana (0%) mas dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,20% a uma expansão de 1,30%.

O avanço de 0,6% da atividade industrial na passagem de março para abril de 2017 teve predomínio de resultados positivos, com alta em 13 dos 24 ramos pesquisados.

Entre os setores, as principais influências positivas foram registradas por produtos farmoquímicos e farmacêuticos (19,8%), veículos automotores, reboques e carrocerias (3,4%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,0%) e máquinas e equipamentos (4,9%). Essas atividades apontaram taxas negativas em março último: -23,4%, -6,9%, -3,4% e -3,3%, respectivamente.

Outras contribuições positivas importantes sobre o total da indústria vieram de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (2,4%), de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (6,7%), de móveis (8,8%) e de produtos diversos (7,6%).

Por outro lado, entre os onze ramos que reduziram a produção nesse mês, o desempenho de maior relevância para a média global foi assinalado por indústrias extrativas (-1,4%), que completou o terceiro mês seguido de queda e acumulou nesse período perda de 2,9%.

Bens de capital. A produção da indústria de bens de capital avançou 1,5% em abril ante março. Na comparação com abril de 2016, o indicador mostrou queda de 5,5%. No ano, houve crescimento de 1,9% na produção de bens de capital. No acumulado em 12 meses, a taxa ficou negativa em 1,2%.

Bens de consumo. Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,4% na passagem de março para abril. Na comparação com abril de 2016, houve retração de 7,9%. No ano, a produção de bens de consumo caiu 0,8%. No acumulado em 12 meses, a queda é de 3,7%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de abril foi de avanço de 1,9% ante março e de 0,6% comparado a abril de 2016. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve recuo na produção de 0,8% em abril ante março, e queda de 9,8% na comparação com abril do ano passado.

Bens intermediários. Para os bens intermediários, o IBGE informou que o indicador teve avanço de 2,1% em abril ante março. Em relação a abril do ano passado, no entanto, foi registrada queda de 3%. No ano, os bens intermediários acumularam queda de 1%%. Em 12 meses, houve redução de 3,8% na produção.

Com informações O Estado de São Paulo