Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Insatisfação é uma das palavras que define o sentimento de muitos segurados que aguardavam com ansiedade a reabertura das agências do INSS no Ceará. Nessa segunda-feira (14), ao se dirigir às agências reabertas, segurados se queixaram de não ter obtido atendimento, mesmo após meses de espera.

Nesta terça-feira (15), o gerente executivo das agências do INSS em Fortaleza, Francismar Lucena, em entrevista aos jornalista Luzenor de Oliveira e Beto Almeida no Jornal Alerta Geral, falou sobre a retomada do atendimento presencial nos postos da previdência Social em meio à pandemia da Covid-19.

O gerente pontua que o primeiro dia de atendimentos não foi de tanto sucesso, pois ainda não se havia chegado a uma decisão quanto à volta dos peritos para atender os segurados que necessitam de perícia médica, uma das maiores demandas atuais.

“Houve um transtorno muito grande em relação a isso. As agendas que estavam previstas para o atendimento técnico previdenciário foram todas atendidas, mas a demanda é maior nessa momento da perícia médica, então um dos anseios da população era a perícia médica”, diz Francismar.

Francismar informa que está havendo um entendimento entre a direção geral do INSS e a Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) para que se possa suprir o que está sendo solicitado pela ANMP com relação ao combate e à prevenção do coronavírus para que se chegue a um consenso.

“Perito médico não mais faz parte dos quadros do INSS, eles são subordinados ao Ministério da Economia. Então nós não temos nenhum gerenciamento hierárquico em cima de médico perito eles tem as decisões independentes”, afirma o gerente.

Questionado pelo jornalista Beto Almeida sobre o preparo das agências do INSS no Ceará para receber os peritos médicos com segurança, Francismar listou uma série de equipamentos e produtos que foram cedidos para as unidades, mas aponta que ainda há problemas que não tem a ver com requisitos básicos de prevenção à Covid-19.

“Nós temos duas agências que não tem fuga, ou seja, o médico tem que ter uma fuga na hora de um possível atentado contra ele. Então nós temos uma agência na Aldeota e na Messejana que não tem”, informou o gerente.

Em relação às unidades que estão previstas para realizar a perícia médica, Francismar diz que os segurados poderão buscar as agências localizadas no Centro de Fortaleza, no bairro Parquelândia, no município de Caucaia, em Messejana, uma próximo à Unifor e uma unidade na Aldeota.