Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O INSS prevê que terá condições de iniciar até o fim de março as análises de benefícios que considerem as regras da reforma da Previdência, quando os seus sistemas eletrônicos deverão estar adaptados à legislação em vigor desde 13 de novembro do ano passado. Em dezembro, foi revelado que requerimentos com a Data de Início do Benefício a partir da data de vigência da reforma  somente seriam avaliados após as alterações de sistema. O que, na prática, determinava a suspensão da análise de novos benefícios. Neste momento, a análise de direitos obtidos após a reforma é parcial, atendendo requerimentos como salário-maternidade e auxílio-doença.

As aposentadorias, principal foco das mudanças realizadas pelo governo, ainda esperam que os sistemas utilizados pelo INSS possam computar as contribuições para acesso ao benefício conforme as regras de transição e as fórmulas de cálculo da renda introduzidas pela reforma. As alterações na legislação também afetam serviços de simulação da contagem do tempo de contribuição pelo aplicativo Meu INSS. Neste caso, o órgão prevê a regularização do serviço até 28 de janeiro.

Além da necessidade de adaptar seus sistemas à reforma, o INSS enfrenta uma crise gerada pela falta de servidores e o aumento da procura pelos serviços. A fila de benefícios à espera de análise há mais de 45 dias está na casa dos 1,3 milhão de requerimentos. Em nota, o INSS justificou a demora na adaptação do sistema devido à complexidade e extensão das mudanças provocadas pela reforma que, segundo o órgão, representou a maior e mais profunda reforma no sistema previdenciário do país. Para tanto, informou o instituto, todos os sistemas de concessão de benefícios da Previdência Social precisam ser ajustados às novas regras, o que já vem sendo feito.

 

 

 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp