Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
A enquete semanal do Portal da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará questionou aos internautas, na última semana (17 a 21/04), se os feriados prolongados e consecutivos podem afetar a economia do Estado. Para a maioria deles (68,7%), os feriados não afetam a economia, pois há um incremento do turismo e, consequentemente, da arrecadação. Os demais (31,3%) acham que os feriados geram a redução das atividades produtivas.

Na opinião do deputado Fernando Hugo (PP), presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, os feriados prejudicam a economia do Estado por conta do fechamento dos comércios. “Em feriados prolongados, o impacto é maior ainda”, comenta.

Já o deputado Moisés Braz (PT) avalia que, por ter uma vocação turística, a economia do Estado é aquecida nesses períodos. “Isso faz girar mais forte uma roda que beneficia toda uma cadeia produtiva de prestação de serviços”, afirma. O deputado Julinho (PDT) pondera que, ao mesmo tempo em que os feriados atrapalham a indústria e parte do comércio, eles também beneficiam o setor de serviços, que representa aproximadamente 70% da economia cearense.

“Feriados prolongados atraem mais visitantes. O importante é termos uma boa rede hoteleira, transporte público eficiente, opções de entretenimento e de restaurantes para aproveitarmos ao máximo essas oportunidades”, defende Julinho.

O professor de Economia Francisco de Assis Paulino, da DeVry Fanor, critica a quantidade de feriados no Brasil, pois entende que eles são prejudiciais à economia de maneira geral. Segundo ele, os impactos aparecem antes, durante e depois das datas comemorativas, pois alteram o ritmo de produção dos funcionários. “O funcionário carrega uma ansiedade pelo feriado, muitas vezes produzindo com mais pressa. Já no pós-feriado, ele demora a recuperar seu ritmo de trabalho”, explica.

Fonte: Assembleia Legislativa do Ceará