Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) variou 0,21% em março, na Região Metropolitana de Fortaleza, sexto resultado positivo seguido. Em março de 2019, a variação havia sido de 1,04%. O índice acumula no ano alta de 1,29%. Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, três tiveram deflação em março.

Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados no período de 3 a 30 de março de 2020 (referência) com os preços vigentes no período de 29 de janeiro a 2 de março de 2020 (base). Em virtude da pandemia do COVID-19, o IBGE suspendeu, no dia 18 de março, a coleta presencial de preços. A partir dessa data, os preços passaram a ser coletados por outros meios, como pesquisas em sites de internet, por telefone ou e-mail.

IPCA_mar.PNG

No lado das altas, destaca-se o grupo Alimentação e bebidas(1,16%) influenciado principalmente pelo comportamento da alimentação no domicílio. O acumulado no ano ficou em 2,95%, e o peso mensal deste grupo é de 22,18%, quase um quarto do total. Os destaques foram as altas da cebola (25,19%), cenoura (22,41%) e tomate (10%). Por outro lado, houveram quedas nos produtos maracujá (-15,13%), carne de carneiro (-7,05%), assim como das carnes em geral (-0,32%).

alimentação fora do domicílio desacelerou na passagem de fevereiro (0,75%) para março (0,69%), puxada pela alta dos refrigerantes e água mineral (1,57%). A refeição variou 0,82%.

Após a variação de 0,13% em fevereiro, o grupo Habitaçãoapresentou alta de 0,88% em março, influenciado pelas altas dos produtos de limpeza sabão em pó (3,13%), detergente (2,13%) e amaciante e alvejante (2,01%). Por outro lado, houve queda nos itens cimento (-1,54%) e água sanitária (-1,29%). A energia elétrica variou 1,26%, enquanto o botijão de gás variou em 0,02%.

O terceiro grupo com maior variação foi Educação, com 0,23%, demonstrando desaceleração com relação ao mês de fevereiro (5,02%). O resultado foi impulsionado principalmente pela variação no preço dos livros didáticos (1,31%). Por outro lado, houve quedas nos produtos de papelaria (-1,10%).

O grupo Despesas pessoais vem sofrendo desaceleração, passando de 0,43% em fevereiro para 0,11% em março. O acumulado do ano ficou em 1,01%, e o peso mensal em 8,37%. Comunicação registrou variação de 0,06%, acumulando no ano 0,48% e com um peso mensal de 4,74%.

Saúde e cuidados pessoais apresentou variação de 0,03%, influenciada principalmente pela alta nos anti-inflamatórios e antirreumáticos (3,85%) e dos anti-infecciosos e antibióticos (3,44%). Por outro lado houve queda nos produtos óticos (-2,49%). O acumulado no ano ficou em 0,43%, e o peso mensal em 13,77%.

No lado das quedas, o grupo Transportes apresentou a menor variação em março de 2020 (-0,99%), acompanhando um movimento de desaceleração ao passar de 0,69% em janeiro para 0,05% em fevereiro e então ao resultado atual. O acumulado do ano ficou em -0,25%, e o peso mensal em 19,11%, o segundo maior peso depois de alimentação e bebidas. O resultado foi influenciado pela queda nas passagens aéreas (-16,91%). Os combustíveis veiculares apresentaram variação de -1,55%.

Os artigos de residência apresentaram baixa de -0,55%, ficando com um acumulado no ano de -0,11%. O resultado foi influenciado, principalmente pela baixa nos móveis de cozinha (-6,13%) e ar-condicionado (-5,91%). O grupo vestuário apresentou variação de -0,36%, acumulando no ano -0,46%.

INPC varia 0,20% em março

Índice de Preços ao Consumidor – INPCdo mês de março na RM de Fortaleza apresentou variação de 0,20%, enquanto, em fevereiro, havia registrado 0,84%. A variação acumulada no ano foi de 1,34%. Em março de 2019, a taxa foi de 1,02%.

Para o cálculo do índice do mês, foram comparados os preços coletados no período de 3 a 30 de março de 2020 (referência) com os preços vigentes no período de 29 de janeiro a 2 de março de 2020 (base). O INPC é calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 05 salários mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Rio Branco, São Luís, Aracaju e de Brasília.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp