Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O vereador Iraguassú Filho (PDT) fez uso da tribuna da Câmara Municipal para falar da nova manobra utilizada pelo Governo Temer que prejudica o trabalhador brasileiro. O governo estuda parcelar a liberação do FGTS, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, bem como o da multa de 40% da demissão sem justa causa, para cobrir o pagamento do seguro-desemprego por um período de até três meses. O anúncio da medida foi feito na última sexta-feira (23) pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles e gerou bastante polêmica.

“Fomos tomados de surpresa na semana passada quando o Governo anunciou um estudo em relação ao FGTS que mais uma vez prejudica a classe trabalhadora. Em relação a crise fiscal e financeira que o país atravessa, novamente é uma conta transferida ao trabalhador brasileiro que não é dele. Registro mais uma vez na tribuna da Câmara Municipal nossa insatisfação e indignação e afirmamos que não adianta parar a mobilização e tão pouco achar que não teremos mais maldades em relação ao trabalhador. Vamos ficar atentos e repercutir no Plenário da Casa toda e qualquer ação que possa vir a trazer prejuízo ao brasileiro”, alertou.

Diante da repercussão negativa, na segunda-feira (26), a imprensa nacional divulgou que o presidente Michel Temer (PMDB) voltou atrás e mandou engavetar a ideia de usar os recursos do FGTS para pagar o seguro desemprego, apesar desse arquivamento é preciso ficar atento, pois não é de duvidar-se uma nova proposta no mesmo sentido.

“Se a gente analisar historicamente percebemos que é impressionante todas as maldades que o Governo Temer vem realizando contra o trabalhador brasileiro em pouco mais de um ano: terceirização aprovada, Reforma Trabalhista encaminhada e para completar esse estudo do FGTS divulgado na semana passada, sem contar com a Reforma da Previdência que querem aprovar a qualquer custo. Na última segunda-feira (26) recuaram, mas o estudo continua. Esse é apenas um dos cenários prejudiciais desse Governo Federal. A arrogância e o desprezo com a sociedade são tão grandes que o Michel Temer tem a pior popularidade dos últimos quase 29 anos da era democrática”, encerrou.