Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ministério Público Federal recebeu, na manhã desta terça-feira, uma representação da defesa da J&F, grupo controlador da JBS, que solicita a aplicação do acordo de leniência, já assinado com a instituição. A medida trata de duas cláusulas do acordo, na tentativa de retomar um contrato que foi suspenso pela Petrobrás.

Na quinta-feira passada, a estatal anunciou a extinção antecipada do contrato de fornecimento de gás para a usina termelétrica Mário Covas, em Cuiabá. A empresa, Âmbar, é pertencente ao grupo J&F, que também controla o frigorífico JBS.  Em comunicado ao mercado, a Petrobrás explicou que adotou a medida “devido à violação de cláusula contratual que trata da legislação anticorrupção”.

O contrato com a Âmbar foi celebrado em 13 de abril de 2017 e estabelece cláusula na qual a empresa declarou que não houve pagamento ou oferecimento de qualquer vantagem indevida a qualquer autoridade pública.

De acordo com a leniência, o MPF assumiu uma série de compromissos com a JBS, entre elas, informar os órgãos sobre o conteúdo do acordo e manter diálogo come eles para proteger a manutenção de contratos vigentes. A assessoria de imprensa do MPF disse que o pedido será analisado e o MPF tomará as medidas cabíveis.

Com informações O Estado de São Paulo