Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em comemoração aos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e diante do contexto factual periférico em que o Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) está situado, a “Jornada pela Vida das Juventudes Periféricas”, lançada neste mês de julho, pretende lançar luz a um debate abrangente sobre a população jovem dos bairros periféricos. Além do Centro Cultural Bom Jardim, equipamento da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, gerido pelo o Instituto Dragão do Mar (CCBJ/IDM/SECULT-CE), integram à campanha o Centro de Defesa da Vida Herbet Souza, Jovens Agentes da Paz, Rede Dlis e Vivo Cidadania.

Como ações da “Jornada pela Vida das Juventudes Periféricas”, serão apresentadas duas trilhas em formato de lives, nos dias 28 e 29 de julho, no perfil do Facebook da Rede Dlis, com direito à certificação gratuita de participação, a partir da inscrição em: https://forms.gle/g7E2DqQqH9bUCFq38.

As lives (trilhas) contarão com representações do Fórum Popular de Segurança Pública, CDVHS/ Liderança Comunitária e CCBJ, Comissão de Direitos Humanos da ALCE, Comitê de prevenção e combate à violência da ALCE.

Em seguida, a ação apresentará uma série de produções em lambes, cartazes vídeos e faixas, elaborados também em parceria com a Comunicação CCBJ e Núcleo de Assistência Técnica Especializada (NArTE), mapeamento e acesso aos grupos de Whatsapp, que já existem no GBJ para disseminação do conteúdo produzido, com várias atividades elaboradas pelo CCBJ e divulgadas nas redes sociais (Youtube, Instagram e Facebook CCBJ).

O objetivo é debater sobre a cultura de paz, premissa norteadora das ações do CCBJ, com o intuito de apresentar as políticas públicas culturais e promotora dos Direitos Humanos. Um dos pontos são os números expressivos do Fundo de Combate à Pobreza (FECOP), recurso que mantém o CCBJ e sua repercussão na comunidade do Grande Bom Jardim e entorno, a partir das ações culturais de difusão, formação e proteção social. Os recursos FECOP e do Contrato de Gestão geram uma potência cultural e social no território.

A campanha se destina às lideranças comunitárias, atores sociais estratégicos (ONGs, Associações, redes de organizações, adolescente e jovens do GBJ, comunidades periféricas, em geral, para que estes sejam sensibilizados sobre a urgência de uma cultura de paz.

As ações de comunicação são norteadas pelos princípios norteadores de combate ao feminicídio, combate ao assassinato de pessoas LGBTQI+ e combate ao racismo estrutural.

A gerência do NArTE/CCBJ, assim como todas as ações do centro cultural e a construção, cotidiana das atividades de arte educação, no Grande Bom Jardim são pautadas pelos princípios da Cultura de Paz.

“Nós do CCBJ acreditamos que cultura e arte são instrumentos fundamentais para a construção dos direitos humanos e uma cultura de paz. Nos encontramos diante de um cenário em que convivem ao mesmo tempo a data histórica dos 30 anos do ECA, o cenário de acentuação das vulnerabilidades sociais provocado pela pandemia da covid-19, o extermínio da juventude e o aumento do número de homicídios no ano de 2020”, aponta Levi Nunes, coordenador do NArTE, do CCBJ.

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp