Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O mês de julho começou com muitas articulações políticas e, mesmo com o adiamento das eleições, as lideranças partidárias caíram em campo para antecipar conversas sobre pré-candidaturas e alianças. Em Fortaleza, o PT se antecipou e lançou a candidatura de Luizianne Lins à Prefeitura, o PSC oficializou apoio ao Capitão Wagner e o PDT espera o tempo passar para, em setembro, apresentar o nome á sucessão do prefeito Roberto Cláudio.

LEIA MAIS

+ Com três pré-candidatos, PDT deixa, para setembro, escolha de nome à Prefeitura de Fortaleza

O segundo maior colégio eleitoral do Ceará, a cidade de Caucaia, tem, também, movimentação com o lançamento da candidatura do deputado Elmano de Freitas (PT) à sucessão do prefeito Naumi Amorim (PSD).

A movimentação sobre a primeira semana de julho na corrida eleitoral ganha destaque, nesta segunda-feira (6), no Bate Papo Político, dentro do Jornal Alerta Geral, entre os jornalistas Luzenor de Oliveira, e Beto Almeida. O Jornal Alerta Geral é gerado pela Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza, é transmitido pelas redes sociais do Ceará Agora e chega ao Interior por outras 26 emissoras de rádio.

Luzenor de Oliveira destaca em sua fala que o Partido dos Trabalhadores firma uma posição pra dizer que é uma prioridade concorrer com candidatura própria no primeiro turno e recomenda o não aprofundamento de articulações para alianças com o PDT. A impossibilidade da união das siglas se deve ao desconforto das lideranças do PT com o discurso propagado por Ciro Gomes, liderança nacional do PDT.

Em complemento, o jornalista Beto Almeida diz que o PT deverá procurar aliança somente com outros partidos da esquerda como PSB e PCdoB e que um dos nomes citados pela pré-candidata é o ex-secretário de governo, Élcio Batista. Além disso, uma sigla que começa a ficar no radar do PT é o MDB, atualmente liderado pelo ex-senador Eunício Oliveira. Sobre isso, Beto afirma:

“Se essa conversa toda vai dar namoro, a gente ainda vai saber. Há uma expectativa de atrair o MDB pra não lançar candidatura própria e logicamente levar o MDB para os braços do PT numa articulação aqui nesta campanha que promete ser diferente, ser acirrada.”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp