Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O clima se aqueceu na Assembleia Legislativa do Ceará. Com animamos alterados, os deputados Leonardo Araújo e Osmar Bauquit trocaram farpas e se exaltaram durante sessão no Plenário nessa terça-feira (10). Diante da discussão acalorada a sessão ordinário foi suspensa.

No Bate Papo Político do Jornal Alerta Geral, desta quarta-feira (11), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida comentaram sobre a postura dos deputados que protagonizaram o conflito na Assembleia.

O ambiente na Casa ganhou tensão após um pronunciamento do deputado Leonardo Araújo com acusações contra o ex-vice governador Domingos Filho e o deputado federal, Domingos Neto. Os deputados Osmar Baquit e Apóstolo Henrique, ao manifestarem solidariedade a deputada Patrícia Aguiar, esposa de Domingos Filho, negaram aparte a Leonardo.

Confira mais informações com o correspondente do Jornal Alerta Geral, Carlos Alberto:

“Foram agressões com termos chulos que depõem contra a imagem do parlamento da Assembleia Legislativa e mostra, até certo ponto, o desequilíbrio, desses personagens, quando o debate deveria ser exclusivamente no campo político, partidário, ideológico e partem para as ofensas pessoais e por pouco não aconteceu um conflito físico entre Leonardo Araújo e Osmar Baquit”, pondera Luzenor.

A deputada Patrícia Aguiar, que estava presente na sessão, expôs constrangimento e disse que não aceita mais as acusações e agressões pessoais contra a sua família.

+ Patrícia reage a Leonardo e anunciou que levará caso à Mesa Diretora da AL

Beto Almeida classifica como “lamentável” o episódio da discussão entre os deputados na Assembleia Legislativa. “Lamentável com o parlamento, lamentável com o cidadão que tem o desprazer de acompanhar ao vivo o descontrole dos parlamentares”, diz o jornalista, que resume o acontecimento como “patético”.

À discussão foi atribuído um caráter pessoal, entre a família de Domingos Filho e Leonardo Araújo, porém Beto discorda dessa posição. Para ele a questão é essencialmente política e envolve questões de interesse e poder na região dos Inhamuns.

“O embate na casa é político, ali é um palanque. Nós estamos em uma casa política onde, legitimamente, se discute poder. Não foi um embate pessoal”, diz Beto, que ainda acrescenta que os deputados não tem o direito despeitar, atacar e ofender uns aos outros da forma como foi feito.

“Uma Casa Legislativa é feita disso, de embate, mas esses embates precisam ter nível, precisam ter fundamentação. Os parlamentares ao ocuparem a tribuna precisam saber que eles estão ali para dar justificativas, para se empenhar em respostas para a sociedade”, enfatiza o jornalista.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp